Vítimas de enchente queimam pneus em protesto na Av. Japão

Protesto foi feito na Avenida Japão, na tarde desta segunda, 11. À noite foi na Lourenço de Souza Franco

 

PAULO QUARESMA – DO CORREIO INDEPENDENTE  – Cerca de 50 moradores de bairros de Braz Cubas, que tiveram suas casas invadidas pelas águas após a forte chuva que caiu desde a noite de domingo (10/03), protestaram com barreira de madeira e queimando pneus na Avenida Japão, maior via da cidade, na altura do Oropó. À noite, houve protestos também na Avenida Lourenço de Souza Franco – trecho da antiga SP-66, em Jundiapeba.

 

Os manifestantes protestaram no Oropó, por cerca de duas horas e os objetos colocados na pista e o fogo interromperam totalmente o tráfego na avenida. A Polícia Militar foi chamada para acalmar os ânimos e os Bombeiros, que apagaram as chamas.

Várias ruas dos bairros Jardim Layr, Aeroporto e em Jundiapeba foram alagadas. A água invadiu muitas casas e ilhou diversos outros imóveis (veja vídeos no fim do texto).

De acordo com dados da Prefeitura de Mogi, o alto índice de chuvas que atingiu a cidade na noite do domingo (10/03) e na madrugada da segunda-feira (11/03) causou transtornos em pontos da cidade. Na região do Oropó, que engloba bairros como os Jardins Santos Dumont e Aeroporto, o índice de chuvas foi de 149 milímetros, o que equivale a 63,3% de todo o volume registrado em março do ano passado. Já em Jundiapeba, o índice foi de 101 milímetros, ou 42,9% de tudo o que choveu em março de 2018.

Por fim, a manifestação na Avenida Japão terminou sem incidentes e de forma pacífica.

Já à noite, o protesto ocorreu na Avenida Lourenço de Souza Franco – continuação da Francisco Ferreria Lopes, próximo á rotatória. Moradores do Nova Jundiapeba, no distrito do mesmo nome – que moram bem ao lado do Rio Jundiaí, fecharam a pista nos dois sentidos.

Prefeitura divulga ações nos bairros afetados

 

De acordo com a Prefeitura de Mogi das Cruzes, 31 pessoas estão alojadas na escola municipal Vereador Astrea Barral Nébias, em Jundiapeba, enquanto 19 pessoas estão alojadas na escola municipal Professora Florisa Faustino Pinto, na região do Oropó. As aulas nestas escolas foram suspensas nesta terça-feira (12/03).

 

A Defesa Civil mantém o monitoramento nestas áreas e as equipes da Secretaria Municipal de Assistência Social estão fazendo o atendimento social das pessoas desabrigadas, com a entrega de cestas básicas, colchões, roupas, cobertores e água potável. Além disso, outras regiões afetadas com as chuvas, como o distrito de Biritiba Ussú, também estão recebendo o atendimento.

 

A Guarda Municipal também reforçou sua atuação nas escolas que receberam as famílias e também nas regiões afetadas.

 

Já a Secretaria Municipal de Saúde está desenvolvendo uma ação específica de combate à leptospirose nas regiões atingidas. O trabalho é desenvolvido pela Vigilância Sanitária, com orientação aos moradores. Estão sendo atendidos Biritiba Ussú, a região do Oropó, Jardim Aeroporto e Jundiapeba.

 

A Secretaria Municipal de Serviços Urbanos permanece, desde a manhã desta segunda-feira (11/03), com equipes realizando a limpeza dos pontos atingidos pelas águas, como o distrito de Biritiba Ussú. Além disso, a pasta também está desenvolvendo ações em estradas vicinais que tiveram problemas de deslizamentos, como a Estrada de São Lázaro, Bento de Campos e Cruz das Almas. O trabalho está sendo realizado ainda na Estrada da Estiva. Além disso, em alguns pontos de Taiaçupeba, Cocuera, Varinhas, São Martinho e Chácara Santo Ângelo tiveram problemas com a coleta de lixo. A situação deverá ser normalizada nesta terça-feira.

 

Com o nível das águas baixando nos pontos alagados, as equipes da SMSU terão como prioridade a limpeza dos pontos afetados, inclusive com o apoio de outros órgãos da Prefeitura, como o Semae.

 

As equipes do Semae concluíram as manutenções nos bairros Boa Vista e Varinhas, que estavam com problemas para o abastecimento da população. Já em Taiaçupeba, os trabalhos continuam já que as duas bombas responsáveis pelo distrito apresentaram problemas técnicos. A previsão é que a situação seja normalizada ainda nesta terça-feira e, enquanto isso, o distrito está sendo abastecido por caminhões-pipa.

 

De acordo com a Prefeitura de Mogi, entre as 7 horas de segunda-feira (11/03) e as 7 horas de terça-feira (12/03), foi registrado 0,5 mm de chuva no ponto de medição do DAEE, na Ponte Grande. O nível do rio Tietê no local está em 3,10 metros. Na região do Jardim Santos Dumont, o índice de chuva no período foi de 4,0 mm, enquanto em Jundiapeba foi de 3,0 mm

Veja vídeos de enchentes e protestos em Mogi enviados por internautas

 

Em seu perfil no Facebook, Mariana Rangel postou este vídeo da região do Oropó, e faz críticas à situação

 

Este vídeo vem da Nova Jundiapeba, localidade que fica bem ao lado do Rio Jundiaí

Protesto na Avenida Lourenço de Souza Franco, próximo da rotatória, na divisa de Braz Cubas com Jundiapeba