Vacina contra o sarampo está disponível nas unidades de saúde de Mogi

 

DE MOGI DAS CRUZES – Com dois casos suspeitos de sarampo – uma menina e uma universitária – mas nenhum confirmado no município, a Secretaria Municipal de Saúde de Mogi das Cruzes destaca que a imunização pode ser feita em qualquer Posto de Saúde. A vacina tríplice viral está prevista no Programa Nacional de Imunizações (PNI), do Ministério da Saúde, é aplicada aos 12 meses de idade e oferece imunização contra sarampo, rubéola e caxumba. O reforço da dose precisa ser feito aos 15 meses.

Leia alerta do Ministro da Saúde para a vacinação no fim do texto

Pessoas com idade entre 15 e 29 anos estão no grupo prioritário para imunização por estarem na faixa etária considerada mais vulnerável à infecção, situação causada pela baixa procura da segunda dose ao longo dos anos. “Nossa orientação é procurar uma unidade de saúde munido da caderneta de vacinação para que o profissional possa verificar a necessidade ou não de tomar a vacina. Quem não tiver a caderneta deve ser imunizado”, explica a médica da Vigilância Epidemiológica, Tereza Nihei.

Mogi das Cruzes registrou dois casos suspeitos de sarampo neste ano. No primeiro, a paciente é uma estudante universitária que reside em Guarulhos e estuda na cidade. Como a instituição está em período de férias, a orientação foi informar alunos e funcionários para que procurem uma sala de vacinação para realizar a imunização. O segundo caso é uma criança de oito anos e as ações de bloqueio vacinal estão programadas para colegas de sala e professores. Para os demais, que já estão em férias, foi repassado um comunicado para receber a vacina diretamente no Posto de Saúde.

O sarampo é uma doença infecciosa, transmissível e extremamente contagiosa, podendo se tornar grave especialmente em crianças e adultos jovens. A transmissão ocorre de pessoa para pessoa, por meio de secreções respiratórias, e os principais sintomas são febre alta (acima de 38,5º) e manchas vermelhas pelo corpo (com início na face e atrás das orelhas), acompanhadas de sintomas respiratórios, como tosse ou coriza, ou conjuntivite.

A forma mais eficaz de prevenir o sarampo é a vacina, que faz parte do calendário de rotina. Quem tem menos de 29 anos deve ter duas doses registradas em sua caderneta. A partir dessa faixa etária, deverá ter pelo menos uma dose. A vacina de prevenção ao sarampo é contraindicada para gestantes e imunodeprimidos, como pessoas submetidas a tratamento de leucemia e pacientes oncológicos. Em caso de dúvida, procure uma unidade de saúde de segunda a sexta-feira, das 8 às 17 horas.

 

Mandetta: vacina é imprescindível para barrar disseminação do sarampo

 

Bruno Bocchini – Agência Brasil  São Paulo –  O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, fez um alerta nesta sexta-feira (05/07) sobre a importância da vacinação para barrar a disseminação de enfermidades como sarampo e caxumba. Ele classificou como “imprescindível” a imunização contra doenças contagiosas que já possuem vacina.

“É preciso que as pessoas tomem, cada um, sua responsabilidade para a gente não ver voltar doenças que nós temos todo o controle, toda a sabedoria da ciência por trás para fazer o controle”, disse, após participar do Congresso da Sociedade Brasileira de Oftalmologia, na Capital paulista.

São Paulo

De acordo com o ministro, o estado de São Paulo, onde foi registrado aumento no número de casos de sarampo, solicitou, na última semana, 3 milhões de doses da vacina contra a doença.

Dados da secretaria de saúde mostram que os casos da doença no estado aumentaram de 51, até o início de junho, para 206, até o início de julho – uma elevação de 304%. A maioria (137) ocorreu na capital.

A secretaria anunciou que vai ampliar a imunização para outros cinco municípios da Grande São Paulo – Guarulhos, Osasco, São Bernardo do Campo, Santo André e São Caetano do Sul – onde há circulação do vírus. As campanhas devem ocorrer a partir de 11 de julho.

A imunização será feita em jovens com idade entre 15 e 29 anos, considerados mais vulneráveis a infecções devido a menor procura pela segunda dose da vacina. No dia 20 de julho, ocorrerá o Dia D de imunização.

Na cidade de São Paulo, a campanha já está em curso desde 10 de junho, com a meta de vacinar 2,9 milhões de jovens. Até 1º de julho, a capital paulista havia imunizado cerca de 47 mil pessoas.