Uma pessoa morre e nove ficam feridas em queda de avião na Bahia

 

Alex Rodrigues -Agência Brasil – Brasília – Um avião bimotor Cessna 550 pertencente ao banqueiro José João Abdalla Filho, o Juca Abdalla, sofreu um acidente na tarde desta quinta-feira (14/11), quando tentava pousar na pista de um resort localizado na praia de Barra Grande, em Maraú, no sul da Bahia. A aeronava havia partido do aeroporto de Jundiai, cidade a 57 quilômetros da Capital paulista.

Segundo a prefeitura de Maraú, a aeronave pegou fogo – ainda não se sabe se devido a algum problema que pode ter causado a queda ou se em função do choque com o solo, ocorrido por volta das 14 horas.

Marcela Brandão Elias,de 25 anos, morreu e outros nove ficaram feridos, alguns em estado grave. Um dos feridos é filho da vítima fatal, um menino de 6 anos. Levados para o posto de saúde de Barra Grande, as vítimas do acidente aguardam para ser transferidos para hospitais da região melhor equipados. A família do Deputado Federal Guilherme Mussi estava no avião.

O ex-piloto da Stock Car, Tuka Rocha (foto abaixo), é um dos sobreviventes.

Imagem

 

De acordo com a polícia, as pessoas que estavam na aeronave são parentes de um empresário paulista identificado como Carlos Henrique, que teria propriedades em Barra Grande e, segundo moradores da região, sempre se desloca de avião até Maraú, de onde pega um helicóptero para uma das suas propriedades.

O dono do avião é também proprietário do Banco Clássico, Juca Abdalla, apontado como um dos homens mais ricos do Brasil. A Agência Brasil entrou em contato com o Banco Clássico, que não forneceu nenhuma informação sobre a aeronave ou sobre o paradeiro do proprietário.

De acordo com o Registro Aeronáutico Brasileiro (RAB), o bimotor prefixo PT-LTJ registrado em nome de Abdalla foi fabricado em 1981, adquirido em agosto de 2015, e estava com o certificado de aeronavegabilidade em situação regular. Registrado para realizar serviços aéreos privados, não pode ser utilizado como táxi-aéreo comercial.