Uefa, Fifa e Conmebol adiam final da Champions, Eurocopa, Copa América e Mundial de Clubes

Um a um, campeonatos e torneios vão sendo adiados pelo mundo

 

PAULO QUARESMA – DO CORREIO INDEPENDENTE * – Um a um, campeonatos e torneios de futebol vão sendo adiados pelo mundo afora. Tudo por conta dos números crescentes na Europa e restante do mundo dos casos de Coronavírus (Covid-19).

A Uefa (União das Associações Europeias de Futebol) decidiu adiar a 16ª edição da Eurocopa para o ano que vem. O anúncio foi feito pelas redes sociais da Federação Norueguesa de Futebol (Norgegs Fotball Forbunds|). O torneio – que seria aconteceria inicialmente a partir do dia 12 de junho – teria sido marcado para ocorrer de 11 de junho a 11 de julho de 2021.

A 16ª edição da Eurocopa já tinha 20 dos 24 participantes definidos na competição. Haveria ainda neste mês a realização da repescagem com realização de partidas para definir os quatro últimos classificados. As novas datas ainda serão remarcadas pela Uefa.

Só com esse torneio, a Uefa estima um prejuízo de R$ 1,6 bilhão e pedirá aos campeonatos nacionais que assumam parte do prejuízo junto à instituição.

 

Champions League

A Liga dos Campeões também teve a sua final adiada. A data prevista para a decisão, que será realizada em Istambul, será em 27 de junho, três dias depois da Liga Europa (24/06). Os playoffs da Eurocopa e amistosos internacionais programados para o final de março serão disputados no início de junho, data que ainda pode ser revista. A saúde de todos os envolvidos no jogo é a prioridade, além de evitar um aumento nos serviços públicos nacionais envolvidos na realização do torneio.

As partidas pela Liga dos Campeões da Europa entre Manchester City e Real Madrid e Juventus e Lyon, que ocorreram no próximo meio de semana, foram adiadas. Os jogadores do time espanhol se isolarão por 15 dias porque um atleta do time de basquete do Real está infectado com coronavírus.

No caso da Juve, a suspensão do jogo está relacionada à confirmação de coronavírus no próprio elenco. O zagueiro Rugani testou positivo e o clube italiano informou que o jogador não apresenta sintomas. Segundo o Ministério da Saúde, pessoas em tal estado podem transmitir a doença, mas o potencial de contágio é baixo.

 

Novo Mundial de Clubes

A Fifa, entidade máxima do futebol mundial, anunciou na tarde desta terça-feira (17/03) o adiamento do novo Mundial de Clubes, que seria realizado entre junho e julho de 2021, na China. A decisão foi tomada para acomodar as novas datas da Copa América e da Eurocopa, previstas para o meio deste ano, mas que foram adiadas pela entidade, na manhã desta terça-feira. (leia acima)

“O mundo enfrenta um desafio sem precedentes na saúde e claramente é necessária uma resposta global e coletiva.  Cooperação, respeito mútuo e compreensão devem ser os princípios a guiar aqueles que tomam decisões nesse momento crucial. Particularmente, no futebol, encontrar soluções justas em nível global é imperativo. Isso requer unidade, solidariedade e senso de responsabilidade. Temos de pensar em todos no mundo que são impactados por essas decisões”, declarou Gianni Infantino, presidente da Fifa, em comunicado oficial publicado o site da entidade.

Segundo Infantino, a possível nova data para realização do Mundial será discutida por meio de videoconferência do Conselho da FIFA, marcada para esta terça-feira (18/03). A competição pode ser transferida para o fim de 2021, ou até meados de 2022 (ano da Copa do Mundo, programada para novembro e dezembro), ou mesmo 2023.

 

Copa América

A Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol) anunciou na manhã desta terça-feira (17/03) o adiamento da 47ª edição da  Copa América  para  2021. Inicialmente a competição estava prevista para ser realizada no período de 12 de junho a 12 de julho na Argentina e na Colômbia. A nova data do torneio já foi definida: acontecerá entre 11 de junho a 11 de julho de 2021.

A decisão foi tomada por conta do avanço da pandemia do novo coronavírus (Covid-19)  por países da América do Sul nos últimos dias.

“Um evento desta magnitude merece que toda a atenção e esforço sejam concentrados em sua organização, uma prioridade que hoje fica em segundo plano para proteger a saúde e a segurança das seleções nacionais, torcedores, mídia e cidades-sede”, afirmou a organização em comunicado.

 

*Com informações da Uefa, Fifa, Conmebol e Agência Brasil