ACMC: impostos comprometem os preços de produtos de verão

QImpostos representam quase 50% do valor de ar-condicionado e ventilador, que já começam a faltar

 

DE MOGI DAS CRUZES – As altas temperaturas têm movimentado o mercado de lazer e turismo e também o comércio de itens para aliviar o calor.  A venda de artigos de praia, bebidas, frutas, sorvetes e bens duráveis – como refrigeradores, ar-condicionado e ventiladores – tem beneficiado o varejo, que registra saldo positivo nos negócios neste início de ano. O movimento registrado na capital paulista, que se reflete para os centros comerciais das principais cidades da Grande São Paulo, como Mogi das Cruzes, foi 3,6% maior na primeira quinzena de janeiro.

“A economia ainda apresenta uma recuperação muito tímida, mas esse calor acaba estimulando as pessoas a viajar e a consumir, gerando um movimento positivo para o comércio em geral”, ressalta a vice-presidente da ACMC, Fádua Sleiman.

O que muitos não sabem é que a tributação de alguns dos produtos mais procurados nesta época do ano compromete muito o preço pago pelo consumidor. Esse é o caso, por exemplo, dos aparelhos de ar-condicionado e ventiladores. Os impostos embutidos nos preços desses produtos chegam a 49,82% e 49,60%, respectivamente. Ou seja, praticamente a metade do custo é de tributos. Mesmo assim, em alguns locais esses itens já começam a faltar por conta do calor excessivo.

Um estudo encomendado pela Associação Comercial de São Paulo sobre a incidência de tributos nos produtos mais consumidos no verão coloca as bebidas alcoólicas no topo da lista: vodca (81,52%), caipirinha (76,66%), uísque (67,03%), chope (62,2%) e cerveja (42,69%).

As bebidas não alcoólicas têm mais de 30% de impostos, como refrigerante em garrafa (46,47%), refrigerante em lata (44,55%) e água mineral (31,5%).

O levantamento revela, ainda, que uma diária em hotel tem tributação de 29,56%; já biquíni, maiô e sunga têm carga tributária de 42,19%.

“Por isso a urgência da reforma tributária. A quantidade de impostos no Brasil é um dos entraves para o crescimento da economia e compromete o consumo dos brasileiros, que  neste início do ano ainda precisam arcar com IPTU e IPVA”, alerta a vice-presidente da ACMC.

 

 

VEJA, ABAIXO, REPORTAGEM DO CORREIO INDEPENDENTE SOBRE O CALOR EXTREMO EM MOGI DAS CRUZES

Com calor de 34°C em Mogi das Cruzes e região, água, sorvete e sucos são a preferência do consumidor

PAULO QUARESMA – DO CORREIO INDEPENDENTE – O calor intenso, que já dura cerca de duas semanas, deve permanecer em Mogi das Cruzes e região nos próximos dias. Nesta quinta-feira (17/01), a temperatura na cidade chegou aos 34°C e deve continua alta nos próximos dias. A marca atingida nesta quinta foi registrada pelo Tempo Agora. Outros institutos variaram entre torno dos 32°C, mas a sensação nas ruas é de realmente o primeiro instituto esteja com a razão.

Vale lembrar que Mogi está a 742 metros acima do nível do mar – em meio a duas serras – a do Mar, na direção da Baixada Santista e litoral – e a do Itapeti – que corta o município, e temperaturas nesses níveis são mais comuns no Norte do País ou mesmo no litoral paulista e carioca.

E o braseiro deve continuar. Isso porque, de acordo com o mapa meteorológico do Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (Ceptec) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), esse calorão deve seguir pelos próximos dias, e a marca dos 34°C pode se repetir neste sábado  (19/01) e na quarta-feira da próxima semana (23/01).

 

Temperatura máxima alcançada nesta quinta-feira, dia 17, em Mogi das Cruzes, segundo o site Tempo Agora / Tempo Agora/Reprodução

 

E para suportar tanto calor, manter-se hidratado é um dos cuidados necessários aproveitar da melhor maneira o verão. Na área central mogiana, valia de tudo para se refrescar: água, assai gelado, sucos e sorvetes.

No Calçadão da Rua Dr. Deodato Wertheimer, os vendedores de sorvetes e assai não paravam de atender clientes. Um deles, o estudante Marcelo Sales, de 19 anos. “Eu vim caminhando lá do Shangai até aqui o Centro, e já bebi uma garrafinha de água e agora vou de sorvete”, conta. “O sol está queimando. A solução é comprar um sorvete, tomar um refrigerante, uma água”, acrescenta.

Para a dona de casa Maria Aparecida Venâncio, 58 anos, a chuva que ameaçou cair no fim da tarde da quarta-feira (16/01), dia em que as temperaturas também foram altas na cidade, era a esperança de refrescar o ar, mas a água esperada não caiu em grande parte de Mogi. “O céu escureceu, ventou e eu imaginei que um aguaceiro fosse cair em toda a cidade, mas parece que só choveu lá para os lados de Cezar de Souza, Sabaúna, e só. Aí, logo imaginei que esta quinta-feira seria infernal”, brinca, analisando o cenário que ela viu nesses dias. “Já tomei muita água, sorvete, agora vou de assai. Sei que vai dar mais sede, mas já vou comprar outra garrafinha de água.

Para o metalúrgico Jones Augusto, 30 anos – que estava na área central mogiana com a esposa e o filho – não dá para sair de casa sem garrafinhas d´água. “Mas logo de cara já acaba tudo, e o jeito é ir repondo o líquido perdido com o suor e aí tem que colocar a mão no bolso e gastar”, brinca. Segundo ele, para refrescar a família, somente nesta quinta-feira já gastou cerca de R$ 30,00.

Pelas ruas da cidade, o CORREIO INDEPENDENTE encontrou água a vários preços, tanto nos estabelecimentos comerciais, quanto em vendedores ambulantes – de R$ 1,50 a R$ 4,00 a garrafinha de água natural. Se for com gás – em que oferta parece ser menor – esse valor aumenta um pouco.

O sorvete é oferecido em vários tipos e preços, para todos os gostos e bolsos. O de casquinha, de R$ 2,50 a R$ 4,00 (bola simples) e os picolés de R$ 2,00 em diante. Maras mais tradicionais de picolés, em estabelecimentos comerciais, ultrapassam os R$ 6,00.

______________

Veja a previsão do Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (Ceptec) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) para Mogi

Sexta-feira
18/01

Pancadas de Chuva a partir da Tarde - Variação de nuvens pela manhã com pancadas de chuva localizadas que poderão ser fortes e vir acompanhadas de trovoadas a partir da tarde.
Pancadas de Chuva a partir da Tarde
20°C
30°C 
________________________________

Sábado
19/01

Possibilidade de Pancadas de Chuva à Tarde - Variação de nuvens pela manhã com chance pequena de pancadas de chuva localizadas que poderão ser fortes e vir acompanhadas de trovoadas a partir da tarde.
Possibilidade de Pancadas de Chuva à Tarde
22°C
34°C 
________________________________

Domingo
20/01

Pancadas de Chuva a partir da Tarde - Variação de nuvens pela manhã com pancadas de chuva localizadas que poderão ser fortes e vir acompanhadas de trovoadas a partir da tarde.
Pancadas de Chuva a partir da Tarde
22°C
29°C 
________________________________

Segunda-feira
21/01

Pancadas de Chuva a partir da Tarde - Variação de nuvens pela manhã com pancadas de chuva localizadas que poderão ser fortes e vir acompanhadas de trovoadas a partir da tarde.
Pancadas de Chuva a partir da Tarde
21°C
32°C 
________________________________

Terça-feira
22/01

Nublado com Pancadas de Chuva a partir da Tarde - Muitas nuvens com curtas aberturas pela manhã com pancadas de chuva localizadas que poderão ser fortes e vir acompanhadas de trovoadas a partir da tarde.
Nublado com Pancadas de Chuva a partir da Tarde
21°C
31°C 
________________________________

Quarta-feira
23/01

Pancadas de Chuva a partir da Tarde - Variação de nuvens pela manhã com pancadas de chuva localizadas que poderão ser fortes e vir acompanhadas de trovoadas a partir da tarde.
Pancadas de Chuva a partir da Tarde
21°C
34° C

________________________________

Como lembrar de beber água no verão?

O nosso corpo não possui maneiras de armazenar água, por isso é fundamental que ela seja reposta diariamente e na quantidade adequada. O cálculo é bastante simples: são 35 ml de água para cada 100 gramas de peso no seu corpo. Esse é um valor básico que deve ser a meta de todos os dias, mas em dias mais quentes ou quando você pratica exercícios ela deve ser mais elevada.

Isso pode até fazer parecer que é muita água. Afinal, normalmente corresponde a mais de uma garrafa PET de 2 litros! Mas calma: existem truques que podem facilitar o consumo adequado de água.

Algumas dicas são:

  • Não espere ter sede para beber água. A sede já é um sinal de desidratação. Lembre-se de beber pelo menos 300 ml de água a cada duas ou três horas mesmo que não estiver com sede.

  • Tenha sempre uma garrafa de água próxima. Isso irá facilitar que você se lembre de beber água com frequência.

  • Você não precisa consumir toda a água de um dia apenas bebendo. Cerca de 20% da nossa necessidade diária é suprida em alimentos que ingerimos com grande concentração de água.

  • Se você não consegue se lembrar de beber água, invista em aplicativos para o smartphone. Apps como Beba ÁguaWaterbalance, Drinking Water ou Hydro te ajudam a cronometrar há quanto tempo você não ingere água e o quanto já bebeu ao longo do dia.

Especialmente no verão, aposte em alimentos com grande concentração de água, como o alface, beterraba, couve, espinafre, pepino, pimentão, tomate, melancia, sucos, morangos, abacaxi. O pepino e o alface, por exemplo, são compostos 96% de água. Agrião, brócolis e espinafre têm 92% de água.

Fotos: Paulo Quaresma / Correio Independente