Shangai: primeiro dia de alterações no trânsito tem muita confusão e congestionamentos. Secretaria garante fluidez após mudanças

A tarde e noite desta terça-feira (05/02) foram de confusão, lentidão e congestionamentos no Shangai e Mogilar com as alterações no trânsito

 

PAULO QUARESMA – DO CORREIO INDEPENDENTE – As primeiras horas após as alterações no trânsito na área do Shangai, em Mogi das Cruzes, foram de muita confusão, lentidão e congestionamentos, que refletiram em vias do Mogilar e de outros bairros próximos. Motoristas e pedestres ficaram perdidos. Nesta quarta (06/02), a Secretaria Municipal de Transportes minimizou os problemas e disse que faz intervenções para que a fluidez volte ao trânsito naquele setor da cidade (leia mais abaixo).

Uma equipe de reportagem do CORREIO INDEPENDENTE percorreu as ruas Navajas e Prudente de Moraes – que tiveram as mãos invertidas – e outras vias do Mogilar e da área central – e verificaram os vários problemas criados, principalmente após as 18h e até por volta das 19h30.

Saindo do Centro, na Barão de Jaceguai com trânsito carregado, a equipe seguiu por volta das 18h15 pela Rua Padre João, até acessar a Navajas. Nessa rua o trânsito estava todo parado e muitos veículos estavam estacionados do lado esquerdo, o que gerou uma certa confusão em que dirigia por lá. Para chegar até a Praça João Antonio Batalha – conhecida como Praça do Shangai – foram pelo menos cinco minutos, num trajeto que pode ser feito, normalmente, em apenas um.

Na confluência da Navajas com a Olegário Paiva – ao lado da Praça e em frente ao novo semáforo instalado – o que se viu foram motoristas bastante confusos. E embora haja três faixas para escoamento do tráfego, havia apenas dois, com carros amontoados.

O asfalto nessa confluência, junto á Praça – está com desníveis muito grandes – e agora, para quem vai virar á direita para seguir pela Olegário, ou mesmo para depois pegar a Avenida Narciso Yague Guimarães, isso faz com que a velocidade nessa conversão seja muito baixa, em razão do asfalto.

A equipe, quando o semáforo abriu, atravessou a Olegário Paiva – com a nova abertura feita na calçada – e virou á esquerda, para seguir pela passagem subterrânea Engenheiro Osvaldo Crespo de Abreu – popularmente conhecida como Buraco do Padre – em referência ao Padre Melo, prefeito na época da inauguração dessa via.

Desde esse local, no sentido Shangai-Mogilar, em toda a passagem subterrânea e na Avenida Prefeito Carlos Ferreira Lopes, o trânsito estava todo congestionado. Pior foi antes de acessar essa avenida. O congestionamento no sentido Mogilar-Shangai fazia com que muitos motoristas que vinham do Nova Mogilar e da área do Terminal Rodoviário Geraldo Scavone fechassem a passagem. Nesse trecho houve uma verdadeira uma disputa seguir pela Carlos Ferreira Lopes.

A equipe de reportagem apontou, também, que a Francisco Rodrigues Filho estava congestionada também desde a entrada do Buraco do Padre até o início da via, na confluência com a Rua Dr. Deodato Wertheimer – reflexo do trânsito parado na passagem subterrânea.

Mas o pior ainda viria. Desde uma das portarias da Universidade Braz Cubas – antes da confluência com a Professor Ismael Alves dos Santos, e até a rotatória na confluência da Carlos Ferreira Lopes com as avenidas Carlos Barattino e Manuel de Oliveira – onde estão à esquerda o Burger King e à direita o Mercado do Produtor – foram nada menos que 15 minutos, num anda e para interminável, para percorrer um  trecho de aproximadamente 800 metros.

Retorno ao Shangai e Centro

 

Se para sair do Centro, passar pela Rua Navajas no Shangai, acessar a passagem subterrânea e chegar ao Mercado do Produtor, no Mogilar, foi uma novela, o retorno foi um folhetim mexicano. Pela mesma Avenida Prefeito Carlos Ferreira Lopes, o trânsito estava todo congestionado. E segui assim pela passagem subterrânea e 30 metros á frente, após a saída, com o entroncamento dos veículos que vinham da Álvaro Pavan em direção a Olegário Paiva, que tinham que parar no semáforo novo na esquina da Navajas. Mais confusão e lentidão.

Quem optou, após passar pelo novo semáforo, em se dirigir à esquerda, para subir a Narciso Yague Guimarães em direção ao Centro Cívico, Mogi Shopping, Socorro e Cezar de Souza, a lentidão era a mesma de todos os dias. Já quem seguiu pela Olegário Paiva, a confusão era muito grande pelo excesso de veículos.

Quem passou por todo o sufoco e contornou à direita na Praça Antonio Batalha, para pegar a Major Pinheiro Franco, seguiu tranquilo, a não ser pelas confusões ainda em algumas esquinas, em razão da mudança de mão de direção, como na Dr. Correa, Capitão Manoel Caetano, Padre João até chegar na Presidente Rodrigues Alves – no fim da Pinheiro Franco, onde a conversão obrigatória à esquerda pela Presidente Rodrigues Alves para se acessar ou ao centro velho ou pegar a Dr. Ricardo Vilela. Como esta tinha, por volta das 18h50, o trânsito parado em direção a Praça Oswaldo Cruz – o reflexo atingiu todo esse trajeto descrito.

Secretaria atribui confusão ao período de adaptação dos motoristas

Na manhã desta quarta-feira (06/02), a reportagem do CORREIO INDEPENDENTE, por e-mail, enviou a descrição dos problemas encontrados para a Coordenadoria de Comunicação da Prefeitura de Mogi das Cruzes, que retornou com a seguinte resposta:
“A Secretaria Municipal de Transportes informa que as equipes de engenharia de tráfego da pasta permanecem monitorando a situação da região do Shangai para verificar possíveis ajustes que necessitarão ser feitos para a melhoria da fluidez e segurança no local. Nesta terça-feira, a implantação foi prejudicada pela chuva do início da tarde, que teve impacto no início do funcionamento e sincronização dos semáforos. Esta situação, aliada ao natural período de adaptação dos motoristas e pedestres, contribuiu para o registro de lentidão em algumas vias, mas os problemas foram minimizados ainda no início da noite com intervenções nos tempos semafóricos e também a orientação dos agentes municipais de trânsito.
Na manhã desta quarta-feira, já foi notada melhoria na circulação dos veículos, com fluidez para os motoristas que deixam a passagem subterrânea em direção ao Centro, bem como nas ruas Navajas, Major Pinheiro Franco e adjacências..
Este trabalho de monitoramento e orientação será mantido nos próximos dias, inclusive com a presença dos agentes de trânsito, pelo menos, até sexta-feira.”