Serviço Municipal de Águas e Esgotos (Semae) reforça orientação sobre correta separação das redes de esgoto e drenagem

 

DE MOGI DAS CRUZES – Com a chegada de mais um período chuvoso, o Serviço Municipal de Águas e Esgotos (Semae) reforça as orientações à população sobre a correta separação das tubulações de esgoto e de drenagem de águas pluviais nas residências. A mistura dos sistemas causa sobrecarga na rede e pode provocar vazamentos, entupimentos e retorno de água para dentro das casas. O problema deve ser corrigido pelos próprios moradores.

O diretor do Departamento de Operações do Sistema de Esgotamento Sanitário do Semae, Gessé Cardoso de Oliveira, explica que o sistema de escoamento de águas pluviais é projetado para encaminhar a água da chuva para as galerias, de onde seguem o caminho natural até os córregos e rios da cidade. Já o sistema de esgoto conduz o material das casas para as estações de tratamento.

“São sistemas diferentes e que não devem ser interligados. Quando isso ocorre, a rede de esgoto fica sobrecarregada e acontecem os problemas”, comenta. Entre estes problemas, estão os vazamentos em tampões de rede de esgoto – visíveis nas ruas e avenidas após dias chuvosos – e os entupimentos de tubulação.

Outro tipo de ocorrência comum é o retorno de esgoto para dentro das casas: isso acontece porque o volume de líquido que chega às tubulações é muito grande, voltando para dentro das residências e causando transtornos aos moradores.

O resultado deste processo também é visto na Estação de Tratamento de Esgoto do Semae, em Cezar de Souza, onde é possível notar o aumento significativo do volume de líquido – no caso, esgoto misturado com a água da chuva.

No cotidiano, a autarquia eleva de forma significativa o número de manutenções relacionadas a casos do tipo. São utilizados, nessas ações, principalmente os caminhões combinados do Semae, que fazem a sucção dos detritos acumulados na rede e o jateamento, com água sob pressão, no interior dos canos.

O diretor salienta, porém, que esta solução é apenas paliativa. Para resolver o problema de forma definitiva, é necessário que cada morador faça uma verificação do sistema de escoamento de água de sua residência. O normal é que as calhas conduzam a água da chuva para as galerias nas ruas, e de lá para as bocas de lobo. Caso seja identificada uma ligação para a rede de esgoto, a separação deve ser providenciada o mais rápido possível.

 

Detritos

Outro problema do uso incorreto do sistema de esgoto é o lançamento de materiais sólidos na rede. No dia a dia, é comum as equipes responsáveis pela manutenção retirarem das tubulações detritos que causam entupimento. “Gordura, pedaço de madeira, pedaço de colchão, materiais plásticos, terra e roupas, entre outros materiais que jamais poderiam estar na tubulação de esgoto”, detalha o encarregado do setor, Anderson Amorim.

O resultado são entupimentos e vazamentos que geram transtornos para a população, como mau cheiro nas ruas e bloqueios no trânsito para os serviços de reparo, além de despesas para a autarquia devido ao deslocamento de funcionários e equipamentos.