Santa Isabel: carro de irmão do ator Marco Ricca, desaparecido há 6 anos, é encontrado com ossada humana às margens da Via Dutra

Produtor cultural estava desaparecido desde 2.014, quando ele saiu de SP para o Rio

PAULO QUARESMA – DO CORREIO INDEPENDENTE – O veículo do produtor cultural Giuliano Ricca, irmão do ator Marco Ricca, que estava desaparecido desde 2.014, foi encontrado por volta das 14h desta segunda-feira (02/11) em uma área de mata, distante cerca de 20 metros da Rodovia Presidente Dutra (BR-116), em um trecho bastante perigoso da estrada, em Santa Isabel, município do Alto Tietê – sub-região Leste da Grande São Paulo. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o veículo estava no fundo de um vale em meio à vegetação nativa.

Segundo a Polícia Civil, o veículo do produtor cultural apresenta sinais de capotamento. E foi encontrado por moradores do local que fariam a construção de cerca na região. O local onde ele foi encontrado é um sítio, no bairro Cachoeira, que fica na altura do quilômetro 192,8 da rodovia federal, na pista do lado direito, sentido Vale do Paraíba e Rio de Janeiro.

Os trabalhadores, ainda conforme a polícia, vistoriavam o local com um cachorro, quando o animal começou a latir ao ver o carro no meio da mata fechada. Os homens correram para o local e acreditaram que o acidente tivesse acontecido recentemente. Quando procuravam por vítimas, encontraram a ossada e imediatamente acionaram a Polícia Militar.

O veículo, um Honda modelo CRV, placas EMO 9888, do Rio de Janeiro (há quem diga que é placa de São Paulo),  cujo último licenciamento data de 2014. foi vistoriados pela polícia, e apresentava sinais de que havia capotado antes de parar ao bater em duas árvores. Em seu interior, havia documentos em nome de Giuliano Ricca, mochilas com tablets e uma ossada humana, que pode ser do produtor musical, mas que foram retirados pela perícia. Somente um exame de DNA vai confirmar a identificação do corpo e as causas da morte. Ainda segundo a PM, os airbags do carro estavam acionados.

Além da Polícia Militar, foram acionadas ainda o Corpo de Bombeiros, o Instituto de Criminalística (IC), a Polícia Civil e a Polícia Rodoviária Federal, responsável pela Rodovia Presidente Dutra. Embora a ocorrência foi em Santa Isabel, em razão do feriadão, o caso foi registrado na Delegacia de Polícia de Arujá, cidade vizinha, também no Alto Tietê, como localização de veículo e de ossada humana.

A Polícia Rodoviária Federal informou que identificação da ossada será feita por meio da arcada dentária no Instituto Médico Legal (IML) de Guarulhos, município vizinho a Arujá e Santa Isabel. Os resultados desse tipo de exame leva, em média, 30 dias para ser concluído.

No final da tarde desta segunda-feira o Honda foi retirado por equipes da CCR Nova Dutra, concessionária responsável pela rodovia e removido ao DP de Arujá, para ser entregue à família do proprietário.

Giuliano Ricca e o irmão, o ator Marco Ricca. Abaixo o carro, depois de retirado do meio da vegetação

O desaparecimento, em outubro de 2.014

Após deixar a cidade de São Paulo, em 19 de outubro de 2.014, com destino ao Rio de Janeiro, o produtor musical Giuliano Ricca, que tinha 47 anos, nunca chegou ao seu destino. O caso veio à tona após Marco Ricca tornar público o drama familiar. À época, ele fez um apelo por informações que ajudassem a achar o paradeiro do irmão após as investigações da Polícia Civil não avançarem.

Na ocasião, Marco Ricca publicou nas redes sociais o seguinte depoimento: “Durante todo este tempo contei com o apoio da Polícia Civil de São Paulo, que investiga o caso. A decisão de não divulgar o desaparecimento do Giuliano, até agora, mesmo com indagações por parte da imprensa, foi para não prejudicar o andamento das investigações e nem comprometer o sigilo das informações. Porém, chegamos a um ponto em que qualquer dado sobre o paradeiro do meu irmão é fundamental para a conclusão do caso”.

Os irmãos Giuliano e Marco Ricca eram sócios na Ricca Produções, fundada em 1.998, e que comandou espetáculos importantes e sucesso de crítica, como  “Cada um com seus pobrema” e “Eu era tudo para ela e ela me deixou”; “Adultérios” (com Fábio Assunção); “Uma Vida no Teatro”, com Francisco Cuoco e Ângelo Paes Leme”; Quem tem medo de Virginia Woolf?”; “A besta”; “Através de um espelho”;  e o monólogo “Palavra de Rainha”, e “Ricardo III”, protagonizado por Marco Ricca e dirigido por Jô Soares. Giuliano ainda foi coprodutor de filmes que tiveram o irmão Marco Ricca no elenco, entre eles “O invasor”, “A Via Láctea” e “Cabeça a Prêmio”.

Fotos: Polícia Militar, Polícia Rodoviária Federal e Redes Sociais