Sabesp amplia para 78% a cobertura vegetal no entorno do Sistema Cantareira

 

DE SÃO PAULO – O trabalho da Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo) na manutenção e na recuperação da vegetação no entorno dos mananciais da Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) vem conseguindo avanços importantes e acaba de registrar um salto de 17 pontos percentuais na área verde do Sistema Cantareira.

Graças ao programa Cinturão Verde dos Mananciais Metropolitanos, a cobertura vegetal na região em volta do principal sistema que abastece a Grande São Paulo passou de 61% para 78%. O aumento impacta positivamente na qualidade de vida da população e da água que a Companhia leva para as cidades atendidas.

O avanço obtido nos 30 anos do programa mostra a importância do trabalho da Sabesp de plantio de árvores nativas em torno dos mananciais. Toda a área da Companhia coberta vegetalmente no entorno dos mananciais e represas soma 330 km² (ou 33 mil hectares), o equivalente à área do município de Guarulhos.

As áreas da Sabesp com cobertura vegetal representam 1,4% de todo o remanescente da Mata Atlântica do Estado de São Paulo e têm valor difícil de mensurar do ponto de vista do ecossistema, com benefícios para as atuais e as futuras gerações. A área total conservada pela Sabesp, no entanto, chega a 440 km² (44 mil hectares), quando incluídos os espelhos d’água das represas.

 

Plantio de árvores

Além da preservação da vegetação, a recuperação dessas áreas é feita também pelo plantio de árvores nativas como ipê verde, pitanga, quaresmeira roxa, cedro rosa, goiabeira vermelha, jacarandá do mato, jatobá, paineira e jequitibá. Além de colaborar com a qualidade da água, a cobertura vegetal dificulta ocupações ilegais, impede que lixo, pesticidas e agrotóxicos sejam arrastados para dentro das represas, reduz enchentes, protege a biodiversidade e garante a segurança hídrica.

O programa concluiu o plantio de 53 mil árvores em volta da represa Cachoeira, no Cantareira em 2018. Elas se somam às 213 mil mudas de espécies nativas que foram plantadas em 2017. A previsão é que até 2020 a Companhia plante mais 300 mil mudas.

 

Prêmio internacional

O trabalho da Sabesp na preservação das represas recebeu em 2018 um prêmio internacional. O BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) escolheu a proteção aos mananciais da região como um exemplo de sucesso a ser seguido. O banco selecionou cinco ações como modelo entre os mais de 300 inscritos na América Latina, Caribe e América do Norte.

O único projeto brasileiro entre os campeões foi o programa Cinturão Verde Metropolitano, da Sabesp, que desde 2007 já plantou mais de 2 milhões de árvores em 1.300 hectares no entorno dos sistemas Cantareira e Alto Tietê, além de preservar outros sistemas como Rio Claro, o Alto Cotia e um formador do Guarapiranga.

O programa Cinturão Verde dos Mananciais Metropolitanos estrutura e fortalece as ações de proteção aos recursos hídricos, de forma sustentável, contínua e persistente. A importância da cobertura vegetal é destacada pelo WRI (World Resources Institute) para garantir água limpa para abastecimento. A iniciativa da Sabesp tem como diretriz a atuação sustentável e multidisciplinar, visando a qualidade da água e seguindo tendências globais para gestão dos recursos hídricos por meio de Soluções Baseadas na Natureza (NBS).

Assegurar a disponibilidade e a gestão sustentável da água e saneamento é um dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU) e uma das prioridades da Sabesp, que abastece mais de 20 milhões de pessoas em uma das áreas mais adensadas do Mundo, a RMSP.