Rodovia Mogi-Bertioga não será liberada, avisa prefeito mogiano

Pelo Facebook (11h50), Melo disse que nova vistoria, feita nesta quinta (26), descartou reabertura da estrada, fechada há 14 dias

DO CORREIO INDEPENDENTE – O prefeito de Mogi das Cruzes, Marcus Melo, informou por volta das 11h50 desta quinta-feira (26), pelo Facebook, que a Rodovia Dom Paulo Rolim Loureiro, (SP-98), A Mogi-Bertioga, não será liberada, como havia a expectativa das autoridades municipais e estaduais. Pela rede social, o prefeito mogiano disse que a não liberação foi em razão das grandes rochas que estão na encosta no km 89 e podem cair sobre a estrada a qualquer momento. Como o CORREIO já havia informado anteriormente, segue a determinação do Departamento de Estradas de Rodagem (DER) para que a queda dessas rochas sejam forçadas para que não haja mais riscos aos motoristas. 

Marcus Melo disse que existe a expectativa é de que a rodovia seja liberada nos próximos cinco dias, ou seja, somente por volta da quarta-feira da próxima semana – dois dias após o feriado de 1 de maio, que deve levar muita gente para as estradas. A permanência desse fechamento atrapalha comerciantes, tanto de Mogi – no trecho de planalto, quanto de Bertioga, que contam com os turistas e consumidores de cidades da Grande São Paulo e interior do Estado, e também dos estudantes, moradores do litoral e que estão matriculados nas universidades situadas em Mogi, como a UMC,  Universidade de Mogi das Cruzes, UBC, Universidade Braz Cubas e Faculdades do Clube Náutico Mogiano.

Nesta quarta-feira (25), durante uma reunião do secretário estadual de Logística e Transportes, Mário Mondolfo, com o prefeito Marcus Melo – em que participou também o deputado estadual Marcos Damásio, foi marcada uma nova vistoria na estrada para a manhã desta quinta-feira (26), e havia a expectativa de que a Mogi-Bertioga pudesse liberada já para este final de semana do feriadão do Dia do Trabalhador, o que não ocorreu. 

A informação dada por Marcus Melo às 11h50 de hoje foi passada ao prefeito mogiano pelo superintendente do Departamento de Estradas de Rodagem (DER), Ricardo Volpi, durante vistoria realizada na manhã desta quinta-feira (26/04), com a presença próprio Melo.

De acordo com o órgão estadual, levantamentos realizados na encosta da rodovia, com a participação de técnicos do Instituto Geológico (IG), identificaram o risco de deslizamento de rochas de grande porte, uma delas com peso estimado de cerca de 500 toneladas.

“O que ocorreu é um desastre natural. A rodovia está em perfeitas condições, bem conservada, mas a serra ainda está instável e foram detectados pontos em que rochas de grande porte que estão nesta área instável. Nossas ações são compartilhadas com a Defesa Civil, o Instituto Geológico e a Defesa Civil de Bertioga e as decisões precisam ser unânimes. Não podemos deixar nenhuma dúvida que outro problema possa ocorrer”, explicou Volpi.

Ao todo, são seis grandes rochas que estão com problemas. Nesta quinta e sexta-feira (27/04), o DER pretende implodir as pedras, fragmentando-as em pedaços menores. Após este trabalho, será feita uma nova análise da encosta e iniciados serviços para fazer as bernas, que são cortes no talude. O muro de gabião que protege a estrada e foi danificado durante os últimos deslizamentos já foi recuperado.

“Nosso pedido é para que o pessoal continue trabalhando 24 horas porque muitas pessoas estão sendo prejudicadas com a interdição da estrada. Os comerciantes, estudantes universitários e pessoas que moram em uma cidade e trabalham em outra. Mas, sempre deve ser colocada a segurança do usuário em primeiro lugar”, afirmou o prefeito Marcus Melo.

O prefeito lembrou ainda que é importante que, além das ações que estão sendo executadas para a liberação da via, seja mantido um trabalho de monitoramento constante das condições das encostas. “Esperamos que o DER faça as intervenções de construção das proteções, de remoção dos materiais, mas também faça um trabalho contínuo e preventivo, de monitoramento sistemático, para que o problema não ocorra novamente”, disse.

Para este trabalho de acompanhamento, o DER contratou um estudo que fará a análise de encostas de rodovias no Litoral e Grande São Paulo, no valor de cerca de R$ 3 milhões e financiamento pelo Banco Mundial. O trabalho será coordenado pelo Instituto Geológico.

Uma quinzena fechada

A rodovia foi interditada no dia 11 de abril devido a um grande deslizamento que bloqueou a pista na altura do quilômetro 89. Equipes do DER trabalharam na limpeza do local, mas as fortes chuvas que atingiram a região nos dias 14 e 15 causaram novos desabamentos. Desde então, os funcionários estão trabalhando na limpeza das pistas, na reconstrução do muro de gabião e na contenção da encosta.

Também participaram da vistoria o diretor técnico do DER, Deni Loretti Filho, os vereadores Antonio Lino, José Francimário Vieira de Macedo, o Farofa, e Diego de Amorim Martins, o prefeito de Bertioga, Caio Matheus, além de técnicos do Instituto Geológico (IG) e da Defesa Civil do Estado.

Superintendente do DER, Ricardo Volpi, detalhou as providências que estão sendo adotadas, em vistoria com a participação do prefeito Marcus Melo (Ney Sarmento/PMMC)
Muro de gabião no quilômetro 89 da rodovia Mogi-Bertioga, que tinha sido danificado pela queda de barreira já foi reconstruído pelas equipes do DER (Ney Sarmento/PMMC)

Veja vídeo postado no Facebook em que o prefeito Marcus Melo informa sobre a não reabertura da Mogi-Bertioga nesta sexta-feira (26). 

Bom dia!Acabamos de receber a informação de que a rodovia Mogi-Bertioga infelizmente não será liberada. Fizemos uma vistoria junto ao DER e o Instituto Geológico para averiguar a situação do trecho interditado e foi constatado que existem 6 rochas ainda com risco de queda. Visando a segurança dos usuários o DER está executando trabalhos de manutenção para a retirada dessas rochas e reforçando as barreiras da rodovia. A segurança dos cidadãos é a nossa prioridade, estamos acompanhando e manteremos todos informados. #MogiDeTodosNós

Publicado por Marcus Melo em Quinta-feira, 26 de abril de 2018