Procon-SP orienta consumidor sobre os aumentos na tarifa do gás encanado, que somente em 2019 subiu duas vezes

 

DE SÃO PAULO – Devido ao aumento na tarifa do gás encanado – que subiu até 27% para cerca de 1,9 milhão de clientes na Região Metropolitana de São Paulo, e nas regiões de Campinas, Baixada Santista e Vale do Paraíba, o Procon-SP, vinculado à Secretaria da Justiça e Cidadania, orienta os consumidores sobre seus direitos.

Nesse ano, foram aplicados o reajuste tarifário (que ocorre a cada cinco anos) e o ajuste anual, o que trouxe um impacto significativo na conta final. Na prática, em fevereiro o gás encanado subiu 11,33% para os clientes residenciais, e a partir de 31 de maio a pancada foi maior – de até 27%.

O preço do petróleo e a variação do câmbio contribuíram com a elevação da tarifa, que foi autorizada pela Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo (Arsesp).

Com esses aumentos, as reclamações no Procon-SP aumentaram 521% em relação ao ano passado. De janeiro a setembro de 2018, foram 98 registros, já no mesmo período de 2019, foram 609, sendo que o principal problema foi com relação à cobrança.

O Procon-SP considera que a Comgás deve esclarecer o consumidor de forma mais efetiva e individualizada, para que o consumidor entenda o valor final de sua conta mensal. O Procon-SP entende ainda que é dever da empresa analisar os casos de forma particular e, dependendo da situação, apresentar uma proposta de solução para que o orçamento da família não seja desestruturado levando a uma situação de endividamento.

Como a composição da tarifa de gás depende do segmento (comercial ou residencial), classe ou faixa de consumo (volume em metros cúbicos consumidos) entre outros fatores, não houve um percentual único de aumento para todos os consumidores.

Dicas para economizar

Ao cozinhar, se possível use panelas tampadas, o cozimento fica mais rápido; use o bocal proporcional ao tamanho da panela; evite abrir o forno e, se possível, coloque mais de um alimento para assar de uma vez. É recomendável usar a quantidade de água adequada ao cozimento do alimento, não deixando ferver mais tempo que o necessário.

Ao tomar banho, regule o aquecedor e evite usar a temperatura máxima, procure não misturar água fria com água quente, a temperatura ideal é apenas com água quente. Recomenda-se fazer a manutenção do aquecedor uma vez ao ano. Banhos demorados desperdiçam gás e água.