Procon de Mogi diz que pesquisa antes da Black Friday é essencial

Uma das recomendações é fazer lista dos produtos e serviços. Cuidados também com as compras online

 

DE MOGI DAS CRUZES – Na semana que antecede a Black Friday, que será realizada no dia 29 de novembro, o Procon da Prefeitura de Mogi das Cruzes orienta os consumidores para que possam se preparar melhor para aproveitar as ofertas. Uma das recomendações é fazer uma lista dos produtos ou serviços que precisem ou deseja e estipular um limite de gasto. A pesquisa de preços por meio de aplicativos e sites de comparação de preços também deve ser feita antes para verificar se os produtos realmente estão em promoção ou não.

O Procon mogiano também alerta para quem vai fazer compras pela internet (leia no fim do texto)

“A Black Friday é um momento de grandes ofertas e que exige um maior cuidado dos consumidores. Todas as informações devem estar bem claras no momento da compra. A Fundação Procon-SP possui uma lista de sites e estabelecimentos que devem ser evitados e está a disposição para consulta dos consumidores”, disse a coordenadora do Procon da Prefeitura de Mogi das Cruzes, Elisangela Montemor Cardoso. O link para consulta é http://sistemas.procon.sp.gov.br/evitesite/list/evitesites.php

A pesquisa de preços antes da compra pode ser feita por meio de aplicativos e sites de comparação de preços. Uma observação importante é sobre o valor do frete, nas compras feitas pela internet. Após escolher o produto ou serviço, o consumidor deve verificar se o preço será alterado no carrinho virtual ou se o valor do frete é muito mais alto do que o habitual. O consumidor também deve ficar atento à política de troca da empresa.

Ainda pela internet, cuidado ao clicar em links e ofertas recebidas por e-mail ou redes sociais. O consumidor deve sempre consultar a página oficial da loja, de preferência digitando o endereço do site. Nas lojas físicas, os produtos expostos nas vitrines devem apresentar o preço à vista e, se vendidos a prazo, o total a prazo, as taxas de juros mensal e anual, bem como o valor e número das parcelas.

Em caso de dúvidas ou reclamações, o Procon de Mogi das Cruzes conta com quatro postos de atendimento na cidade. As unidades estão localizadas no prédio-sede da Prefeitura (Avenida Vereador Narciso Yague Guimarães, 277 – Centro Cívico), no Pronto Atendimento ao Cidadão (PAC) de Braz Cubas (Rua Capitão Francisco de Almeida, 47), no Centro Integrado de Cidadania (CIC) de Jundiapeba (Alameda Santo Ângelo, s/nº) e no Prédio 2 da Prefeitura de Mogi das Cruzes (Rua Francisco Franco, 133 – Centro).

 

Procon da Prefeitura de Mogi orienta
sobre compras online na Black Friday

O Procon da Prefeitura de Mogi das Cruzes listou algumas sugestões para que os consumidores mogianos que desejam aproveitar as ofertas da Black Friday, realizada no dia 29 de novembro, sejam bem-sucedidos em suas compras. A promoção apresenta várias oportunidades de excelentes preços para a população, no entanto, é importante que aqueles que pretendem comprar via internet optem por sites de lojas brasileiras e mais conhecidas.

Uma boa dica para conferir a nacionalidade do site é se atentar ao final do endereço eletrônico e checar os que terminam somente em “. com”, sem o “br” no final.

Além disso, o Procon também orienta os compradores a tomarem cuidado com os links enviados via e-mail e rede social. É bom sempre verificar a veracidade das ofertas acessando o site oficial da loja, de preferência digitando o endereço.

Outras dicas para evitar os prejuízos são: verificar o preço final do produto no carrinho de compras, já com a inclusão do frete, para assegurar que não é um valor abusivo; guardar todos os registros de compra, como e-mails e eventuais conversas via chat, e preferir lojas que se identificam claramente, oferecendo endereço e contato, e aquelas que foram indicadas por familiares, amigos ou em sites que avaliam a reputação das lojas virtuais.

O órgão também orienta os consumidores a prestar atenção no prazo de cancelamento em compras fora dos estabelecimentos físicos. Nesses casos, o cliente possui até sete dias para desistir da operação, prazo contado a partir da data da compra ou da entrega. Por fim, é necessário tentar controlar a empolgação, desconfiando de preços muito baixos.

O consumidor pode consultar a lista de sites que tendem a violar os direitos dos consumidores e devem ser evitados, neste link.