Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreende cerca de 500 esmeraldas com casal gaúcho na Rodovia Presidente Dutra, em Arujá

Casal não conseguiu provar origem legal das joias que, segundo avaliação da PRF, devem valer algo em torno dos R$ 4 milhões

 

DE ARUJÁ – A Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu no final da tarde dessa quarta-feira (27/11) cerca de 500 esmeraldas sem comprovação fiscal com um casal de Capão da Canoa, cidade que fica no litoral gaúcho, que trafegava pela Rodovia Presidente Dutra (BR-116), em Arujá, um dos municípios do Alto Tietê – região que ocupa a porção leste da Grande São Paulo. O casal e as pedras foram levados para perícia e verificação.

De acordo com a PRF, o casal foi fiscalizado às cinco horas da tarde, quando uma equipe de policiais fiscalizava no km 204 da Via Dutra, no município do Alto Tietê. O carro seguia no sentido ao Rio de Janeiro quando os policiais fizeram a abordagem e, durante a verificação de documentos, perceberam o nervosismo exagerado do homem de 30 anos, decidindo verificar o porta-malas. Lá encontraram os pacotes de pedras verdes, que estavam divididas em diversos pacotes plásticos pequenos e guardados dentro de uma mochila.

No início, ele disse que as pedras não tinham valor comercial. Disse ainda que teria obtido o conjunto em Belo Horizonte, Capital de Minas Gerais, e levaria a Arujá para lapidação. Vendo que não convencia aos PRFs, ele mostrou a foto de uma nota fiscal de R$ 500 mil que estava no aparelho celular da esposa dele. Como não era possível comprovar sua autenticidade, o casal e o material apreendido foram levados à sede da Polícia Federal, no bairro da Lapa de Baixo, em São Paulo. Na delegacia foi possível a ampliação da suposta nota fiscal e verificaram que o destino apontado nela era Tocantins. As esmeraldas serão periciadas e sua origem e destino investigados. O crime de usurpação de bens da União tem pena de até cinco anos de prisão.

Pedras de esmeralda

O Brasil é um dos maiores exploradores de esmeraldas do mundo. A pedra, junto com diamante e rubi, é uma das mais preciosas e pode chegar a valer U$ 5 mil dólares o quilate, que equivale a dois gramas do produto lapidado. É possível que o valor da apreensão em Arujá alcance quase R$ 4 milhões.

 

Fotos: PRF / Divulgação