Prefeitura apresenta ações para melhoria da acessibilidade em Mogi

 

DE MOGI DAS CRUZES – Foram divulgadas na manhã desta segunda-feira (29/07) as ações para melhoria de acessibilidade em Mogi das Cruzes, durante evento realizado na Prefeitura com diversos representantes de pessoas com deficiência. A cidade está recebendo 300 rampas de acessibilidade, 15 lombofaixas, 30 lombadas e 1.000 metros quadrados de readequações geométricas. Os locais para implantação dos dispositivos de acessibilidade estão sendo discutidos com representantes do Conselho Municipal de Assuntos da Pessoa com Deficiência, do Centro Municipal do Paradesporto e da Secretaria de Assistência Social.

Durante as conversas entre a Secretaria Municipal de Transportes e os representantes das entidades ligadas às pessoas com deficiência foram definidas rotas de acessibilidade em locais de interesse para a mobilidade urbana. Já foi definida a implantação de 57 novas rampas e 28 travessias elevadas. Com 61 rampas já existentes, estes primeiros investimentos criarão 4.786 metros de rotas de acessibilidade.

“Chamamos os representantes e perguntamos onde instalar as rampas e as estruturas. A nossa visão é diferente da visão das pessoas com deficiência porque são eles quem sentem na pele os problemas. A cidade deve ter este olhar para ser um olhar com mais acessibilidade a todos”, explicou o prefeito Marcus Melo.

O prefeito lembrou ainda que a administração municipal deve se preocupar em oferecer condições de mobilidade urbana para a melhoria da qualidade de vida desta população. “É criar espaços adequados, com acessibilidade, com um transporte adequado para que as pessoas possam sair de casa e realizar as atividades”, disse.

 

Primeiros trabalhos

Os primeiros trabalhos de melhoria de acessibilidade irão beneficiar as regiões de Jundiapeba (203 metros entre a região central do distrito e a estação ferroviária), de Braz Cubas (708 metros entre a Avenida Francisco Ferreira Lopes e a estação ferroviária), Rodeio (220 metros entre a UPA e o Centro Municipal do Paradesporto), Centro (280 metros entre a Rua Ipiranga e a sede da Apae, onde já foi feita a ampliação das calçadas, e 810 metros entre o Prédio II da Prefeitura (antigo campus de Direito da UBC) e a Praça Oswaldo Cruz, passando pela estação ferroviária), Mogilar (925 metros entre o Mercado do Produtor e o Hospital das Clínicas Luzia de Pinho Melo) e Centro Cívico (1.640 metros, entre o bairro do Shangai e as proximidades do Mogi Shopping e a unidade do Poupatempo).

“Todas as conquistas que estamos conseguindo são muito importantes. Participo do Conselho Federal e vejo a realidade de outros lugares. Mogi das Cruzes pode se considerar uma cidade privilegiada porque temos pessoas na Prefeitura que se preocupam com as pessoas com deficiência”, afirmou o presidente do Conselho Municipal de Assuntos da Pessoa com Deficiência, Wilson Gomiero.

A região da Praça João Antonio Batalha e da Rua Olegário Paiva já vem recebendo rampas de acessibilidade, no início dos trabalhos desenvolvidos pela Prefeitura. Já a implantação de lombofaixas foi iniciada pelo cruzamento das ruas Otto Unger e Doutor Antonio Cândido Vieira e pela Rua Tenente Manoel Alves, próximo ao cruzamento com a Rua Ipiranga.

“Temos a possibilidade de fazer 300 rampas de acessibilidade. Ou seja, além das que já estão definidas, podemos ampliar e deixar a cidade um pouco mais acessível”, disse o secretário municipal de Transportes, José Luiz Freire de Almeida.

Novas lombadas já estão começando a ser instaladas na região da Vila da Prata e da Avenida Kaoru Hiramatsu, na Porteira Preta.

Também participaram do evento a presidente do Fundo Social, Karin Melo, o vice-prefeito Juliano Abe, o presidente da Câmara Municipal, Sadao Sakai, o vereador Edson Santos, o coordenador do Centro Municipal do Paradesporto, Dirceu José Pinto, o presidente da Apae, João Montes e a responsável por ações para pessoas com deficiência na Secretaria Municipal de Assistência Social, Valeriana Alves.

Marcus Melo destacou a importância de ouvir os representantes das pessoas com deficiência para a definição dos locais que receberão os trabalhos – Fotos Junior Lago/PMMC
Intervenções de melhoria da acessibilidade foram detalhadas durante evento, com a participação de representantes das pessoas com deficiência