Prefeito de Mogi das Cruzes é internado no feriado em UTI do Hospital Santana com pancreatite aguda. Ele já está em um quarto

Marcus Melo foi para (UTI) Unidade de Terapia Intensiva do Hospital Santana na madrugada de quarta-feira, dia 1, e já está no quarto

 

PAULO QUARESMA – DO CORREIO INDEPENDENTE – O prefeito de Mogi das Cruzes, Marcus Melo, foi internado na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Hospital Santana, no Alto do Ipiranga, desde a madrugada desta quarta-feira (01/05), feriado nacional pelo Dia do Trabalho, em razão de uma crise aguda de pancreatite.

Em nota, a Coordenadoria de Comunicação Social da Prefeitura de Mogi das Cruzes confirmou que Marcus Melo foi afetado por uma crise de pancreadite, e que tem o quadro estável, passa bem e não corre riscos.

Por decisão da equipe médica, ele segue na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Santana para monitoramento contínuo e administração de medicações, devendo seguir para o quarto até esta, sexta-feira (03/05). Há previsão de alta médica nos próximos dias.

Ainda de acordo com a Coordenadoria, a situação em nada interfere na rotina de trabalho da Prefeitura de Mogi das Cruzes, cabendo ao vice-prefeito Juliano Abe representar o prefeito no período de ausência.

Também em nota, a diretoria do Hospital Santana informou que “o paciente evoluiu com melhora importante de sua dor. Os exames apresentaram uma melhora significativa. Devido à melhora do quadro clínico e laboratorial, terá alta da UTI”.

Vale lembrar que o prefeito mogiano acaba de chega de uma viagem, com uma comitiva de empresários e políticos da cidade, ao Japão e Bélgica, que saiu da cidade no dia 17 de abril e retornou no final do mês.

O que é a pancreatite

De acordo com o site Minha Vida, pancreatite é a inflamação no pâncreas. O pâncreas é uma glândula localizada atrás do estômago no abdome superior. Entre as suas funções está fazer a digestão das gorduras e carboidratos que ingerimos usando o suco pancreático, substância que contém enzimas digestivas.

lém disso, o pâncreas é responsável por produzir os hormônios insulina e glucagon. A insulina é responsável por reduzir as taxas de açúcar no sangue, ao passo que o glucagon tem o efeito contrário, aumentando essas concentrações. Assim o pâncreas funciona como dois órgãos existindo em um só.

 

Getty Images

Tipos

A pancreatite pode ocorrer de forma aguda ou crônica. Os casos leves de pancreatite podem desaparecer sem tratamento, mas casos graves podem causar complicações com risco de vida.

Pancreatite aguda

O início da pancreatite aguda é frequentemente muito repentina. A inflamação geralmente desaparece dentro de poucos dias, uma vez que o tratamento começa. De acordo com o DATASUS, no Brasil são registrados cerca de 15,9 casos a cada 100 mil habitantes todos os anos.

Pancreatite crônica

A pancreatite crônica é uma inflamação que não acaba e se perpetua. Os pacientes com pancreatite crônica podem sofrer danos permanentes ao pâncreas. Sua incidência é estimada entre cinco e 10 casos para cada 100 mil indivíduos por ano.

O tecido cicatricial se desenvolve a partir de inflamação de longa duração e pode fazer o pâncreas parar de produzir a quantidade normal de enzimas digestivas. Como resultado, é provável que você tenha problemas para digerir gorduras. Em casos avançados a parte endócrina pode ser acometida e os pacientes evoluem com Diabetes Mellitus.

O abuso de álcool é a causa mais comum de pancreatite crônica em adultos. Doenças autoimunes e doenças genéticas, tais como a fibrose cística, também podem causar a pancreatite crônica em alguns pacientes.

Causas

Pancreatite ocorre quando as enzimas digestivas produzidas no pâncreas tornam-se ativadas enquanto no interior do pâncreas, causando danos ao órgão.

Com acessos repetidos de pancreatite aguda, o dano ao pâncreas pode ocorrer e levar a pancreatite crônica. O tecido cicatricial pode se formar no pâncreas, causando a perda da função. Um pâncreas que não funcionam bem pode causar problemas de digestão e diabetes.

Segundo o gastroenterologista Henrique Perobelli Schleinstein, as causas mais comuns de pancreatite são cálculos na via biliar, alcoolismo e hipertrigliceridemia (triglicérides altos). Além disso, causas autoimunes também estão envolvidas mais raramente, assim como deformidades embriológicas como o pâncreas divisum.

Fatores de risco

Alguns fatores são considerados de risco para a pancreatite aguda e pancreatite crônica, incluindo:

  • Alcoolismo
  • Cálculos biliares
  • Cirurgia abdominal
  • Certos medicamentos
  • Tabagismo
  • Fibrose cística
  • Colangiopancreatografia retrógrada endoscópica, quando usado no tratamento de cálculos biliares
  • História familiar de pancreatite
  • Níveis elevados de cálcio no sangue (hipercalcemia), que podem ser causadas por uma glândula paratireoide hiperativa (hiperparatiroidismo)
  • Altos níveis de triglicérides no sangue (hipertrigliceridemia)
  • Infecção
  • Lesão no abdômen
  • Câncer de pâncreas.

Pancreatite pode ser hereditária?

O médico gastroenterologista Henrique Perobelli Schleinstein, indica que a pancreatite pode sim ser hereditária. existem casos de pancreatite crônica hereditária, uma doença autossômica dominante que acontece pela falha na produção de tripsinogênio, uma enzima pancreática e pode afetar jovens.