Polícia procura assassinos de jovem encontrada morta no Taboão, em Mogi. Ela saiu de casa, em SP, para uma entrevista de emprego

PAULO QUARESMA – DO CORREIO INDEPENDENTE – O Setor de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP) da Polícia Civil de Mogi das Cruzes segue investigando quem teria matado a jovem Mirele Peixoto Souza Teodoro, de 22 anos, encontrada morta em um matagal à beira da Estrada do Taboão, no distrito industrial do Taboão, na cidade, no último dia 15. Quando ela foi encontrada, estava sem a bolsa e documentos que pudessem identificá-la. Três dias após o encontro do cadáver é que a Polícia Civil mogiana, por meio das digitais, fez a sua identificação.

Após os exames necroscópicos o Instituto Médico Legal (IML) de Mogi constatou que a jovem foi morta com um tiro na nuca. A polícia vai traçar um perfil da vítima para tentar descobrir se ela foi morta em um assalto ou se trata de um crime de ódio. Para a polícia, ela não foi violentada, mas a confirmação disso ainda não foi feita. O laudo ainda não foi divulgado.

Mãe de um bebê de 7 meses, Mirele foi encontrada morta cerca de cinco horas depois de sair da sua casa, na Vila Bancária, bairro da zona leste da Capital paulista. Lá pegou um carro de aplicativo de transporte, com um motorista conhecido da família. Desceu cerca de meia hora depois, na Avenida Paes de Barros, também zona leste paulistana. A partir daí, nada se sabe. Só que ela foi encontrada morta a 50 quilômetros de distância, já em Mogi.

Seu corpo estava em um matagal, próximo ao Centro de Detenção Provisória (CDP) de Mogi, no bairro do Taboão. A família da jovem afirmou à polícia que Mirele não conhecia nenhum detento preso nesse local.

Para a família, Mirele estava feliz e disse que iria para uma entrevista de emprego e que, para essa vaga, deveria ficar alguns dias fora do Estado para realizar um treinamento. Em vista disso, os familiares não se preocuparam. Eles até chegaram a ligar para o celular da jovem, que não atendeu. Somente quando o Setor de Homicídios ligou para a sua casa é que souberam que ela era a jovem morta em solo mogiano.

Ainda não se sabe se ela estava ajoelhada quando foi morta ou tentou fugir do assassino embrenhando-sena mata, onde foi encontrada.

O sepultamento de Mirele ocorreu dia 19, no Cemitério São Pedro, na Vila Alpina, zona leste de São Paulo.

Corpo da jovem foi encontrado dentro da mata, no distrito industrial do Taboão, em Mogi das Cruzes, no dia 15 de janeiro

 

VEJA REPORTAGEM DO CORREIO INDEPENDENTE DO ENCONTRO DO CORPO DA JOVEM, EM UM MATAGEM EM MOGI