Polícia prende mulher de 30 anos após atropelamento e morte de vítima na calçada da Avenida Fernando Costa, em Mogi das Cruzes

DE MOGI DAS CRUZES – A polícia prendeu uma mulher de 30 anos, em Mogi das Cruzes, após o atropelamento de um homem que estava em uma calçada na manhã deste domingo (03/11) e deixar outra pessoa ferida, em uma avenida na Vila Rubens. Como ela fugiu do local após o acidente, o carro dela e as placas foram identificados por imagens feitas por câmeras da Central Integrada de Emergências Públicas (Ciemp), da Prefeitura de Mogi.

Segundo a polícia, o atropelamento aconteceu na Avenida Fernando Costa, na Vila Rubens,na pista sentido centro-bairro. Por volta das 6h18, policiais militares do 17º Batalhão de Polícia Militar Metropolitano (BPM/M) foram acionados para atender um atropelamento. Chegando no local, Duilio Aparecido de Jesus, de 36 anos, já estava morto. Uma mulher de 62 anos também foi atingida pelo veículo, ficou ferida e foi socorrida. Ela teve fratura no tornozelo. No momento do atropelamento, ela caminhava pela calçada com o filho de 35 anos, que não se feriu. Ela contou que viu o carro em alta velocidade, que bateu na guia, subiu na calçada e atingiu o homem, que morreu. Depois atingiu ela.

Com as imagens da Ciemp foi possível identificar o veículo e encontrar o endereço da casa da mulher, que é suspeita pelo atropelamento. Ela é Fernanda Cristina Leite Geraes, auxiliar administrativa. O carro foi encontrado pela polícia na casa dela, no Distrito de Brás Cubas.

A ocorrência foi registrada no 1º Distrito Policial, no Parque Monte Líbano, para onde a suspeita e o carro foram levados. De acordo com o Boletim de Ocorrência feito no local, a auxiliar administrativa confessou que atropelou as pessoas na calçada e fugiu sem prestar socorro. Na delegacia, foi solicitado a ela que fizesse o exame de etilômetro (bafômetro), mas de acordo com a PM, o equipamento apresentou problemas técnicos.

Mesmo tendo admitido antes o atropelamento, de acordo com a polícia, a suspeita teria dito depois na delegacia que havia saído de uma festa e que não se lembrava de nada.

Na sequência, foi proposto à suspeita que coletasse sangue pra exame de dosagem alcoólica, que foi feito com o consentimento dela na Santa Casa da cidade.

A suspeita foi presa em flagrante. No entanto, a advogada contratada por Fernanda disse que ela obteve a liberdade provisória concedida em audiência de custódia e vai responder em liberdade. A ocorrência foi registrada como homicídio culposo cometido na direção de veículo automotor, lesão corporal culposa na direção de veículo automotor e fuga do local do acidente

Foto: Google Street View / Divulgação