Polícia Militar prende 5 na madrugada desta segunda-feira, 14, tentando furtar dutos da Transpetro, subsidiária da Petrobras

Criminosos foram presos em Guararema, nesta segunda, 14, ao tentarem furtar  dutos da Transpetro

PAULO QUARESMA – DO CORREIO INDEPENDENTE – Mais uma tentativa de furto de combustíveis em dutos da Transpetro – subsidiária da Petrobrás, responsável pelo transporte de produtos da estatal brasileira – foi registrado no Alto Tietê. Desta vez em Guararema, no início da madrugada desta segunda-feira (14/01).

Segundo a Polícia Militar, uma denúncia foi recebida pela corporação de que estaria acontecendo algo de suspeito próximo a dutos da estatal. Por volta da 1h40 da madrugada, os policiais chegaram à Estrada Municipal João Evangelista dos Santos, no Lambari – bairro que fica nas proximidades com a Rodovia Ayrton Senna, e lá encontram dois homens próximo a escavações feitas na linha dos dutos da Transpetro. Um veículo estava ao lado dos suspeitos.

No local, os policiais viram que um túnel com cerca de seis metros havia sido escavado. Ao lado havia duas pás e galões vazios, que provavelmente seriam utilizado para serem enchidos com os combustíveis que eles iriam furar.

Ainda de acordo com a PM, um outro carro foi abordado pela equipe, e mais três suspeitos acabaram detidos, totalizando cinco.

Com a quadrilha, a PM informou que foram encontrados nove aparelhos celulares, um relógio, seis cartões bancários de crédito, quatro folhas de cheque em branco, além das pás e galões e ainda R$ 1.608,00 em dinheiro.

Após a prisão do grupo, eles foram levados para a Delegacia de Polícia de Guararema, onde o caso foi registrado.

A Transpetro, que enviou técnicos ao local, informou que eles não conseguiram perfurar o duto, portanto não houve prejuízo para a empresa.

Furtos constantes

A Transpetro não confirmou, mas esse deve ter sido um dos primeiro ataques a dutos da empresa em 2019. A crescente incidência de furto de combustível diretamente dos dutos da Petrobras/Transpetro, que cortam 26 mil quilômetros do país e tem a sua maior concentração nas regiões Sul e Sudeste, tornou-se, nos últimos anos, é uma das grandes preocupações da empresa. De acordo com as empresas, geralmente os furtos são praticados através do processo conhecido como trepanação, com instalação de uma válvula para desviar o óleo.

Praticado por organizações criminosas, esse tipo de furto ocasiona prejuízos financeiros, dano ambiental e ameaça à vida de moradores das comunidades que se instalaram desordenadamente ao redor desses dutos.

Um gerente de manutenção de dutos da Petrobras disse que há quadrilhas especializadas em mapear os dutos, furtar o combustível e em revender o óleo e derivados. O produto furtado seria comercializado para revendedores de combustíveis legais e ilegais, e o petróleo bruto processado em refinarias clandestinas – como as já descobertas, recentemente, em outras cidades do Alto Tietê. A Transpetro informou que vem investindo em mais segurança e mais tecnologia para minimizar os furtos em sua malha de dutos no país.

Representantes da Petrobras e Transpetro, por telefone, disseram à reportagem do CORREIO INDEPENDENTE que a maior preocupação das companhias é com riscos às pessoas. “A maior preocupação da companhia é com a segurança das famílias, pois intervenções criminosas nos dutos podem trazer riscos para a comunidade, como incêndios ou explosões”.

A empresa alerta que é muito importante a participação dos moradores de áreas próximas aos dutos e solicita que eles entrem em contato com a Transpetro por meio do telefone 168, no caso de alguma movimentação suspeita na faixa de dutos ou em terrenos próximos. Para ligar, o informante não terá custo e o atendimento está disponível em qualquer hora do dia ou da noite, nos sete dias da semana.

Foto: Polícia Militar / Divulgação