Polícia Federal prende, nesta segunda, 8, membros da máfia italiana em PG

 

DE SÃO PAULO – A Polícia Federal cumpriu, na manhã desta segunda-feira (08/07), dois mandados de prisão, para fins de extradição, de Nicola e Patrick Assisi, cidadãos italianos suspeitos de trabalhar para o braço da máfia italiana na América do Sul, conhecido como “Ndrangheta”. O grupo mafioso, baseado na região da Calábria, no sul de Itália, controlaria 40% dos envios globais de cocaína, sendo o principal esquema criminoso importador para a Europa.

Um dos presos já tem condenação por tráfico e associação para tráfico de drogas na Itália (com pena fixada em 14 anos de prisão). O outro, filho do primeiro criminoso, ocupava ao menos três apartamentos na cobertura de prédio de alto padrão, o Edifício Praia Reis, na Praia Grande, uma das cidades da Baixada Santista. De alto padrão, o condomínio tem 17 pavimentos e fica a uma quadra da orla, no bairro Aviação.

Ambos estavam foragidos desde de 2014, havendo notícia de que passaram por Portugal e Argentina, utilizando-se de nomes falsos.

A cobertura onde foram presos, em Praia Grande, possuía sofisticado sistema de vigilância, com câmera dome 360 na área externa, o que possibilitava identificar todos as pessoas que acessavam o prédio. Foram encontrados em poder dos presos, até o momento, duas pistolas, dinheiro em espécie e veículos.

Investigações apontam que a máfia italiana e o Primeiro Comando da Capital (PCC) se associaram já há algum tempo para enviar cocaína à Europa, principalmente pelos portos de Santos e Paranaguá (PR).

A facção paulista, que se expandiu pelo país e pela América do Sul, conseguiu ampliar os seus tentáculos dominando o tráfico na fronteira com o Paraguai e estabelecendo relações comerciais diretas com os produtores de cocaína deste país, da Bolívia e do Peru.

Os mandados foram expedidos pelo Supremo Tribunal Federal, a pedido da Representação da Polícia Federal junto à Interpol, em cooperação com o Escritório da Direção Central para os Serviços Antidrogas – DCSA da Itália no Brasil e com os Carabiniere de Turim.

Veja lista do que de materiais apreendidos:

01 pistola calibre 40

02 pistolas calibre 380

41 munições calibre 380

14 aparelhos celulares variados

01 telefone satelital

03 notebooks

01 Ipad

01 impressora

HDs externos e pendrives

01 modem portátil

05 Relógios de luxo

Documentos variados

Cartões de crédito

02 veículos (automóveis)

R$ 770.745,00

US$ 24.432,00

EURO$ 6.165,00

3,973 Kg de pó branco aparentando ser cocaína

 

Pelo Twitter, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, parabenizou a PF pela operação. “Brasil não deve ser refúgio para criminosos”, escreveu.