Furto de combustíveis: Polícia Civil detém 10 por ações na Grande SP

Operação da Civil prendeu por roubos em Arujá, Santa Isabel, Guararema, Guarulhos e em outras cidades

 

PAULO QUARESMA – DO CORREIO INDEPENDENTE – O Núcleo de Roubo de Cargas da Delegacia Secional de Polícia Civil de Guarulhos, deteve 10 pessoas na manhã desta segunda-feira (1º/07), durante a Operação Trupanon. A ação teve como objetivo localizar provas e deter uma organização criminosa responsável por perfurar e furtar combustíveis de dutos nas cidades de Guarulhos, Arujá, Guararema, Santa Isabel e outros municípios da região metropolitana.

Mais de 130 policiais civis participaram do cumprimento de 45 mandados de busca e 14 de prisão temporária. Segundo o delegado Milton Burgese de Oliveira (foto acima), do Núcleo de Cargas, da Delegacia Seccional de Guarulhos, durante a operação foram apreendidos computadores, veículos, pen drives, celulares, tablets, documentos de postos e uma quantia em dinheiro, que ainda será contabilizada.

As investigações que resultaram na identificação do grupo se deu após a prisão em flagrante de sete pessoas em agosto de 2018, na cidade de Guarulhos. Os trabalhos incluíram inteligência policial, buscas em campo e cruzamento de informações. Desde 2016 a quadrilha praticava esse tipo de crime e não levantava suspeitas utilizando a técnica de retirada mínima de combustível dos dutos, evitando, dessa forma, a despressurização – o que denunciaria o problema – evitando com isso a fiscalização.

Ao todo, dez pessoas foram presas em cumprimento a mandados de prisão temporária e outras quatro estão foragidas. Entre os presos está o líder da quadrilha e dois funcionários de uma empresa responsável pelo transporte e a logística de combustível, que repassavam informações privilegiadas aos criminosos.

“Nós não estamos tirando das ruas apenas uma quadrilha que praticava furtos. Estamos livrando a sociedade de um enorme risco”, destacou o delegado Milton Burguese. “Todas as vezes que eram realizadas perfurações havia a presença de solda e calor no duto, o que poderia ter gerado explosões e ceifado a vida de muitas pessoas que vivem na região”, completou.

Ainda segundo o delegado, a quadrilha agia de forma precisa para evitar explosões. Para isso, um homem conhecido como José Matias era o responsável pelas operações.

Durante a operação também foram cumpridos 45 mandados de busca e apreensão nas residências e estabelecimentos ligados aos suspeitos. Em nove postos fiscalizados, foram apreendidos computadores, veículos, valores em dinheiro, pen drives, celulares, tablets e documentos que comprovam a participação dos investigados.

A Polícia também constatou que além de comprar combustível ilegal, os postos envolvidos no esquema eram responsáveis pela adulteração das substâncias. De acordo com a polícia, entre os detidos nesta segunda-feira está Marcos Miranda. Ele seria o chefe da quadrilha e é proprietários de um dos postos de gasolina que recebiam os combustíveis furtados. A Polícia Civil o localizou em uma casa no Jardi Presidente Dutra. Dois irmãos de Miranda, também donos de postos de combustíveis envolvidos na quadrilha, também foram presos. O comum entre os líderes da quadrilha era a vida confortável que mantinham, morando em condomínios de luxo e mansões.

Com as provas obtidas foi possível contabilizar dez perfurações em diferentes cidades e constatar que foram furtados entre 5 e 7 mil litros de combustível por ação criminosa. Os alvos da quadrilha eram nafta, diesel, gasolina, álcool e querosene de aviação, resultando em uma perda de, no mínimo, 4 milhões de reais.

As retiradas ocorriam após os criminosos receberem informações privilegiadas de técnicos terceirizados pela Transpetro – subsidiária da Petrobras, responsável pelos dutos e pelo transporte de combustíveis, que indicavam os locais exatos e a quantidade a ser retirada. Em seguida, nos pontos escolhidos para a retirada, os criminosos construíam túneis.

Foto: Polícia Civil / Divulgação