Polícia Civil investiga esquema de cartões de Bilhete Único fraudados em Itaquaquecetuba; operação simultânea foi realizada em outros terminais

 

PAULO QUARESMA – DO CORREIO INDEPENDENTE – Nesta quinta-feira (03/10), a Polícia Militr prendeu dois homens, suspeitos de integrar uma quadrilha que falsifica e frauda cartões do Bilhete Único, em Itaquaquecetuba, uma das cidades do Alto Tietê – região que ocupa a porção leste da Grande São Paulo. Com eles foram encontrados mais de 500 cartões e um notebook que, segundo a PM, continha softwares e senhas para recarregar os cartões.

Nesse mesmo dia, a Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo (SSP-SP) deflagrou uma operação para combater fraudes e o uso indevido de bilhetes eletrônicos de transporte. Durante as atividades, 29 pessoas foram detidas e mais de 1,2 mil cartões apreendidos.

“Há dois meses nos reunimos com representantes das polícias para discutir a ação e, após 10 dias de diligências e serviço de inteligência para identificar o grupo, os policiais foram a campo” destacou o 1º tenente Diego Franchi Lemes, do 7º Batalhão de Ações Especiais de Polícia (Baep).

No caso de Itaquaquecetuba, a prisão ocorreu próximo à estação Manoel Feio, da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM).

“Nós estamos realizando oitivas com apoio de técnicos da SPTrans para confirmar se esses cartões possuem créditos fraudados”, explicou o delegado Carlos Henrique Ruiz, titular da 4ª Delegacia de Investigações sobre Fraudes Patrimoniais Praticadas por Meios Eletrônicos.

“Caso seja comprovado o crime, os envolvidos poderão ser autuados por estelionato, associação criminosa e organização criminosa”, completou o delegado. As investigações prosseguem para identificar outros envolvidos, além de compradores e beneficiários.

Em Itaquá, após o flagrante feito pela Polícia Militar, um inquérito foi instaurado pela Polícia Civil para apurar se os cartões do Bilhete Único são fraudados.

A PM informou que uma equipe fazia o patrulhamento nas proximidades da estação de trens. Ao ver a viatura, os dois suspeitos rapidamente fecharam um veiculo que estava ao lado deles e iniciaram a fuga a pé, mas não foram muito longe. A poucos metros os dois foram detidos.

De acordo com a PM, com um dos suspeitos foram encontrados 40 cartões do Bilhete Único, um telefone celular, R$ 40,00 em dinheiro, além da chave do carro. Com o outro suspeito, os policiais encontraram 20 cartões do Bilhete Único em um dos bolsos da calça, um aparelho celular, e dentro de uma mochila outros 20 cartões do Bilhete Único e a quantia de R$ 2,00.

Após a revista pessoal nos suspeitos, os policiais militares iniciaram a revista no veículo. Dentro dele havia 480 cartões do Bilhete Único, maquinas de crédito e débito, moedas e um caderno com senhas dos cartões.

Confissão

Segundo a PM, a dupla confessou que era responsável pela venda, recarga e distribuição dos cartões de Bilhete Único na estação de trens do bairro de Manoel Feio. Conforme os policiais, eles revelaram que cada cartão é abastecido com cerca de R$ 500,00 em créditos, tudo por um softwares gravado nos pendrives e notebooks, por meio de senhas que são repassadas por pessoas que atuam na Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo (EMTU), empresa controlada pelo Governo do Estado de São Paulo. Gerencia o transporte intermunicipal por ônibus na Grande São Paulo, na Baixada Santista, na região de Campinas, região de Sorocaba e no Vale do Paraíba

A PM levou os dois suspeitos e todo o material apreendido para o Distrito Policial Central de Itaquaquecetuba, mas em razão de ser necessária uma análise dos equipamentos eletrônicos e dos cartões, para se apurar se há fraude ou não, a dupla foi liberada.

Já na ação efetuada simultaneamente com o empenho de cerca de 80 policiais e 20 viaturas – em outros terminais, Armênia e Perus, na Capital, e Carapicuíba e Santo André, na Grande São Paulo, 29 pessoas foram detidas – incluindo dois adolescentes. Foram apreendidos, ainda, quatro notebooks, 1.255 cartões, oito celulares, cerca de R$ 4 mil e um caderno com anotações relacionadas ao esquema

Durante os trabalhos, as equipes identificaram um veículo que fazia o transporte dos cartões. Além disso, os policiais empenhados também descobriram uma casa na região de Perus, bairro paulistano, que servia como quartel para praticar as fraudes.

No esquema, os fraudadores inseriam os créditos irregulares em cartões ilegais e compravam bilhetes de terceiros para uso indevido. Eles se posicionavam perto das catracas nas estações e janelas de ônibus e, desta forma, ofereciam o uso do bilhete irregular por um valor menor do que a tarifa.

Esquema parecido foi flagrado pela Record TV em 2018, conforme reportagem do CORREIO INDEPENDENTE (leia mais abaixo), em que o modus operandi dos fraudadores é idêntico.

Segundo o delegado Carlos Henrique Ruiz, titular da 4ª Delegacia de Investigações sobre Fraudes Patrimoniais Praticadas por Meios Eletrônicos, as investigações prosseguem para identificar outros envolvidos, além de compradores e beneficiários. “Caso seja comprovado o crime, os envolvidos poderão ser autuados por estelionato, associação criminosa e organização criminosa”, completou o delegado.

 

Equipamentos eletrônicos, celulares, maquinas de crédito e débito apreendidos nas proximidades da estação da CPTM Manoel Feio, em Itaquaquecetuba

____________________

RELEMBRE REPORTAGEM DE JANEIRO DE 2018 QUE MOSTRAVA A AÇÃO DE CRIMINOSOS EM FRAUDES DE CARTÃO DO BILHETE ÚNICO