Operação “Papiro” age contra fraude em 5 cidades, 3 delas do Alto Tietê

Ação teve como objetivo desmantelar fraude fiscal envolvendo empresas que comercializam papel

DE SÃO PAULO – A Polícia Civil e a Secretaria da Fazenda e Planejamento deflagraram, nesta quarta-feira (30/10), a operação “Papiro” para desmantelar fraude fiscal envolvendo empresas que comercializam papel. As medidas cautelares que foram cumpridas abrangem cinco cidades e 18 alvos.
Os trabalhos investigativos apontaram que cerca de 16 empresas tenham simulado operações com papel como se fossem utilizá-lo na impressão de livros, jornais e periódicos a fim de conseguir imunidade tributária prevista na Constituição Federal e no Código Tributário Nacional (CTN). A fraude, já que os papeis tiveram outras destinações, fez com que R$ 20 milhões deixassem de ser recolhidos pelos cofres paulistas no período de 2015 e 2019.
Participaram da ação 53 agentes Fiscais de renda e 14 policiais civis da Divisão de Crimes Contra a Fazenda (DISCCFAZ), do Departamento de Polícia de Proteção à Cidadania da Polícia Civil (DPPC), além de promotores do Grupo de Atuação Especial contra a Sonegação Fiscal do Ministério Público do Estado (GAESF).
Os trabalhos em campo visaram cumprir medidas cautelares contra 18 alvos localizados na Capital paulista e nas cidades de Santa Branca, Arujá e Santa Isabel – as três no Alto Tietê, região que ocupa a porção leste da Grande São Paulo – e Santo André, no ABC Paulista.
Os nomes das empresas de Santa Branca, Arujá e Santa Isabel, alvos dessa operação, não foram revelados nem pela Polícia Civil e nem pela Secretaria de Fazenda e Planejamento estadual.