PM prende homem com dezenas de facas, 18 canivetes, soco inglês, algemas que poderia praticar atentado no Fórum de Mogi

 

PAULO QUARESMA – DO CORREIO INDEPENDENTE * – Um policial militar impediu um provável atentato que poderia ter sido praticado no Fórum Central de Mogi das Cruzes, no Centro Cívico, no final da tarde desta terça-feira (10/12), ao impedir que um ajudante, de 28 anos, ingressasse no local com várias armas. Ele veio de Campinas, no interior do Estado, para Mogi por transporte público.

.Tudo aconteceu às 17h25, quando o soldado Vital, em atividade Dejem (Diária Especial por Jornada Extraordinária de Trabalho), abordou o jovem, que veio de Campinas acompanhado de uma tia e de advogada, e que no Fórum mogiano iria fazer um inventário de família.

Logo na abordagem o rapaz informou aos responsáveis pelo controle de entrada de pessoas no Fórum que portava algumas facas. Ao ouvir isso do ajudante, o policial imediatamente fez a revista pessoal e oito facas que estavam aparentes foram retiradas. O PM então solicitou reforço e contou com a tenente Aline e o Cabo Anthoni.

Mas o arsenal de armas com o jovem ainda estava para ser descoberto. Dentro das roupas dele os policiais militares ainda encontraram 6 facas, 18 canivetes, três tonfas retráteis, 5 lanternas, 1 soco inglês, 1 algema, 2 celulares e 112 canetas avaliadas em R$ 3 mil. Para a PM, ele disse ser colecionador de canetas, que não tinha nenhum alvo definido para atacar na cidade e que carregava as facas e demais objetos apenas para sua “defesa pessoal”,

Tonfa é uma arma de origem oriental, composta por um bastão fino e comprido, utilizada em algumas artes maciais e também pelas forças oficiais de segurança.

Ele vestia ainda um cinto tático e uma jaqueta camuflada. Para os PMs, com essa vestimenta ele poderia enganar as pessoas de integrar algum departamento especial de polícia.

De acordo com a polícia, o homem aparentava estar calmo e não tinha sinais de ter entrado em surto. Muito pelo contrário, o rapaz se mostrou uma pessoa fria e calculista e permaneceu o tempo todo calado.

Para pessoas que estavam no Fórum, e viram tudo o que foi retirado com ele, o homem mais parecia um Rambo. Houve um início de pânico no local e, de acordo com o Boletim de Ocorrência, por questões de segurança uma juíza teria se afastado do local onde ele foi detido

Ele foi conduzido ate o 1° Distrito Policial, no Parque Monte Líbano, onde o caso foi registrado como “atentado contra segurança de serviço de utilidade pública”. O ajudante foi autuado em flagrante.

Posteriormente, a polícia descobriu ainda que ele havia prestado concurso para a PM e que iria realizar uma das fases eliminatórias ao cargo – o teste de aptidão física – em janeiro de 2020.

Diante das tantas ameaças ao Judiciário em todo do País, o juiz da Vara Cível Gustavo Alexandre da Câmara Leal Belluzzo agradeceu o trabalho da Polícia Militar, que foi acompanhado também pelo capitão Evandro e pelo Serviço Reservado da corporação.

Segundo o que apurou a reportagem, um delegado de Polícia Civil de São Paulo veio a Mogi para fazer o procedimento legal.

Vale lembrar que os Tribunais  de Justiça dos Estados possuem um departamento da Polícia Civil, só para esses procedimentos.

De acordo com o Boletim de Ocorrência, o rapaz vai passar por exame de corpo de delito e por uma audiência de custódia. O crime é inafiançável e a pena pelo porte do armamento pode chegar a quatro anos de detenção. Todas as armas, acessórios e as mais de cem canetas que ele portava foram apreendidas pela Polícia Civil e passarão por perícia.

*Colaborou Marcelo Arruda

Fotos: Polícia Militar / Divulgação