PM localiza 70 pés de maconha em uma casa e prende dois em Poá

Uma mulher e um homem foram detidos. Ele contou que em 1 mês aprendeu o cultivo pela internet

 

PAULO QUARESMA – DO CORREIO INDEPENDENTE – Após uma denúncia anônima, uma casa que servia de laboratório e estufa para plantação de maconha foi descoberta pela Polícia Militar em Poá – uma das cidades do Alto Tietê, região que ocupa a porção leste da Grande São Paulo, nesta terça-feira (06/08). Duas pessoas foram presas, uma delas – responsável pelo local – é um jogador de rugby, de 31 anos.

Segundo a corporação, a denúncia foi feita por volta das 13h30, em razão do forte odor da droga que alertou a vizinhança. Uma equipe da PM foi até a residência indicada, na Rua Santos Dumont, na Vila Júlia, e viram uma mulher saindo da casa. A mulher foi abordada e os policiais encontraram um homem, que se identificou como o responsável pelo imóvel.

Com o forte cheiro da maconha, os PMs pediram ao homem para vistoriar o imóvel, o que foi consentido. Lá dentro eles encontraram um verdadeiro laboratório e estufa com pelo menos 70 pés de maconha plantados, espalhados por diversos cômodos. O que viram foi uma casa adaptada, com luzes ultravioleta acesas e climatizadores (ventiladores), que funcionam para diminuir o cheiro. Essa tecnologia é utilizada para que os pés da planta se desenvolvam mais rapidamente e não despertem a curiosidade, o que acabou não acontecendo.

De acordo com a PM, foram apreendidos na casa 63 mudas, 59 pés e 22 galhos de maconha. No subsolo da casa os policiais encontraram um laboratório e um sofisticado sistema de produção da droga.

A mulher abordada contou as policiais que apenas pegou uma carona com o homem,mas “não o conhecia”. Essa versão foi confirmada pelo suspeito, que admitiu ter apreendido pela internet, durante um mês, a cultivar maconha, e que tudo começou há seis meses quando também usou a rede mundial de computadores para comprar duas mudas da erva.

Há cinco meses produzindo maconha em casa, o homem revelou aos PMs que cada pé de maconha renderia 35 gramas da erva, pronta para vender, e que em seis meses seu faturamento poderia chegar a $ 150 mil. Ele contou ainda que iria comercializar cada grama da droga por R$ 30,00.

 

Foto: Polícia Militar / Divulgação