PM liberta homem de “tribunal do crime” do PCC em Itaquaquecetuba

Porteiro de 35 anos, e cadeirante, seria morto pelos integrantes de “tribunal” do PCC

 

PAULO QUARESMA – DO CORREIO INDEPENDENTE – Policiais militares libertaram na noite desta sexta-feira (02/10) um homem, que seria vítima do chamado “tribunal do crime” do PCC (Primeiro Comando da Capital). Foi na cidade de Itaquaquecetuba – no Alto Tietê – sub-região Leste da Grande São Paulo. A vítima era um porteiro, de 35 anos, cadeirante.

“Tribunal do crime” é o apelido a um julgamento que os criminosos do PCC fazem contra outros criminosos, desafetos ou membros de outra facção. (veja no fim do texto vídeo da Band e quadro da revista Época explicando como funciona esse “tribunal”)

Segundo informou a Polícia Militar, a corporação recebeu um chamado às 20h18 e o informante comunicava a provável execução deu um homem na Travessa Servidão do Bonfim, no bairro Vila Ferreira.

De acordo com a PM, a equipe se dirigiu rapidamente ao local indicado pelo denunciante e observou muitas pessoas correndo. Foi quando os policiais ouviram alguém gritando socorro, em um barraco da travessa – o último naquela região de Itaquá.

Ao ser encontrado, o porteiro, um cadeirante de 35 anos, contou aos policiais militares que havia sido sequestrado pelos criminosos na Avenida Ítalo Adami, no Centro de Itaquá, e levado para o barraco. Segundo a vítima, um homem armado, integrante do PCC, avisou que ele seria morto.

Após a libertação da vítima do cativeiro, os PMs o levaram para o Distrito Central de Polícia Civil da cidade. Ninguém foi preso, mas a polícia investiga o caso para identificar os integrantes da facção criminosa.

Veja como funciona o “tribunal do crime” do PCC, em reportagem do Brasil Urgente, da Band

 

Veja como funciona o “tribunal do crime” do PCC, em arte feita pela revista Época

A justiça paralela (Foto: Época )