Plano para Preservação da Mata Atlântica será lançado nesta sexta

Lançamento será em Suzano, única cidade do Estado de S. Paulo a receber apoio da ONU Meio Ambiente

 

DE SUZANO – Localizado no Alto Tietê – região com dez cidades que ocupa a porção leste da Grande São Paulo, Suzano vai elaborar o Plano Municipal da Mata Atlântica (PMMA), com base na Lei Federal 11.428/2006, para tratar das áreas de preservação ambiental do bioma localizadas no município. O lançamento acontecerá nesta sexta-feira (14/12), a partir das 13h30, no auditório da Faculdade Piaget (avenida Mogi das Cruzes – 1.001 – Jardim Imperador).

O trabalho será formulado até o final de janeiro de 2019 e o cronograma geral de ações terá duração de nove meses. O município chefiado pelo prefeito Rodrigo Ashiuchi será o único do Estado de São Paulo a receber apoio da Organização das Nações Unidas (ONU) Meio Ambiente.

Coordenada pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente, a elaboração do PMMA está dentro do Plano Diretor 2018-2027, que o reconhece como instrumento de planejamento integrado e gestão, e apresenta como justificativa os 70% do território em áreas de proteção ambiental. O documento tem como principal objetivo reconhecer, avaliar e propor medidas de preservação e restauração de áreas, conciliando com desenvolvimento econômico e social da região.

Segundo a diretora do Meio Ambiente de Suzano, Solange Wuo, os municípios que têm o plano ganham acesso ao Fundo Nacional de Restauração do Ministério do Meio Ambiente, que poderá financiar diversos projetos no município. “Além disso, Suzano também estará apta a receber compensações ambientais. No Estado de São Paulo há apenas 13 municípios com o plano devidamente estabelecido. Agora estamos pleiteando para a nossa cidade”, explicou.

A elaboração do plano será executada em etapas divididas em quatro momentos: Preparação (com estabelecimento de Grupos de Trabalho, Orientação e Programa de Trabalho), Elaboração (com Diagnóstico, Objetivos Especiais, Áreas e Ações Prioritárias), Aprovação e Implementação (com monitoramento e avaliação do trabalho).

Por fim, a diretora da pasta responsável pelo projeto, a elaboração do PMMA auxilia na gestão do patrimônio ambiental do município, possibilita a implantação de Programas de Pagamento de Serviços Ambientais (PSA), atrai investimentos sustentáveis, como ecoturismo, e colabora de forma importante para criação de corredores ecológicos regionais.

“A localização do município de Suzano é estratégica, pois faz o elo de ligação entre a Serra do Itapeti e a Serra do Mar, além de abrigar grande área de produção de água para abastecimento da Região Metropolitana de São Paulo”, informou Solange.

A iniciativa também conta com apoio do Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente (Comdema), de organizações não-governamentais (ONGs), de universidades e da parceria com a Associação Nacional dos Órgãos Municipais de Meio Ambiente (Anamma).

Fotos: Irineu Junior/Secop Suzano e Divulgação/Secop Suzano