Maria da Penha prende homem por desrespeito à medida protetiva

 

DE MOGI DAS CRUZES – A Patrulha Maria da Penha, da Guarda Municipal de Mogi das Cruzes, deteve na tarde desta terça-feira (06/08), um homem por desrespeito à medida protetiva com relação a sua ex-esposa. O caso aconteceu no Jardim Universo. O caso foi registrado no 1º Distrito Policial, no Parque Monte Líbano.

Os guardas municipais foram acionados para atender a denúncia sobre desrespeito da medida protetiva. Chegando no local, a equipe da Patrulha Maria da Penha flagrou o homem em frente à casa de sua ex-esposa.

Aos guardas, o acusado alegou estar no local para visitar um amigo. No entanto, ele foi encaminhado à delegacia onde teve a prisão confirmada. De acordo com a ex-mulher, esta foi a terceira vez que o homem é detido por desrespeito à medida protetiva.

Criada em abril do ano passado, a Patrulha Maria da Penha  acompanha atualmente 340 medidas protetivas encaminhadas pela Justiça e, com o caso desta terça-feira, já realizou a detenção de 30 pessoas em flagrante.

“A violência contra a mulher é um problema grave e que precisa ser combatido. A Prefeitura criou a Patrulha Maria da Penha para aumentar a sensação de segurança e garantir a proteção às vítimas”, explicou o secretário municipal de Segurança, Paulo Roberto Madureira Sales.

A patrulha oferece acompanhamento preventivo e periódico, para garantir proteção às mulheres em situação de violência que possuem medidas protetivas de urgência expedidas pela Justiça, com base na Lei Maria da Penha (Lei 11.340/2006). Os juízes do Fórum de Mogi das Cruzes informam os casos que precisam de apoio da Guarda Municipal, que cumpre os deveres da Patrulha Maria da Penha.

A Lei Maria da Penha completa 13 anos nesta quarta-feira (07/08). Criada em 2006, a legislação tem como objetivo a proteção de mulheres, criando mecanismos para coibir a violência familiar e doméstica (leia mais abaixo).