Número de nascimentos no Brasil cai e de mortes aumenta em 2016, mostra IBGE

Raquel Júnia

Em 2016, foram registrados no Brasil cerca de dois milhões e 800 mil nascimentos. O número é 5 por cento menor do que o registrado em 2015 e é a primeira vez em sete anos que o cenário é de queda nos registros. As estatísticas do registro civil 2016 foram divulgadas nesta terça-feira (14) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o IBGE.

Os dados mostram ainda  uma expressiva redução na mortalidade até os 14 anos e um aumento nas idades mais avançadas. A gerente da pesquisa, Klivia de Oliveira, destaca que os dados mostram também o envelhecimento da população brasileira.

Em relação aos nascimentos, a região com menor queda foi a sul e a maior, centro-oeste.O estado de Roraima foi o único que apresentou aumento de nascimentos, num percentual de quase 4% em relação a 2015. O estado com maior queda foi Pernambuco, com recuo de 10%.

Outra constatação é a idade das mães das crianças registradas. No Norte elas são mais jovens, com idades entre 20 e 24 anos. Nas outras regiões, especialmente na sul, a proporção entre as faixas etárias de 20 a 24, 25 a 29 e 30 a 34 anos é parecida.

Os dados mostram ainda os percentuais de mortes relativas a causas externas, o que inclui homicídios, suicídios, acidentes de trânsito, entre outros fatores. Em relação às mulheres, as chances de um homem de 20 a 24 morrer por causas externas foi 11 vezes maior em 2016.

Há 40 anos, a diferença era de 4,6 vezes. No grupo de homens de 15 a 24 anos, alguns estados diminuiram a quantidade de mortes por causas externas, como São Paulo, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul, Paraná, Rondônia, Distrito Federal, Rio de janeiro, Santa Catarina, Pernambuco e Minas gerais.Já na Bahia, o aumento foi de 171 por cento nos últimos dez anos.

Casamentos

Quanto aos casamentos, a queda em relação a 2015 foi de 3,7%, tanto entre casais de sexo diferentes, quanto do mesmo sexo. Entre os 27 estados, 20 apresentaram redução, em maior proporção no Piauí, Alagoas e Paraíba. O Estado do Amapá registrou 20% de aumento nos casamentos.

Já taxa de divórcio aumento 4,7% em relação a 2015 em todo o país.