Ciesp Alto Tietê destaca a participação do setor industrial no trabalho e economia da região

Neste sábado, 25 de maio, no Dia da Indústria, Centro das indústrias do Estado de SP avalia importância da indústria do Alto Tietê

 

DO ALTO TIETÊ – Ocupando a porção leste da Grande São Paulo – o Alto Tietê chega ao Dia da Indústria 2019, comemorado neste sábado (25/05), entre as 15 regiões com os melhores desempenhos na geração de emprego no Estado de São Paulo. De acordo com o Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp), o Alto Tietê encerrou 2018 no primeiro lugar do ranking e, neste ano, por enquanto, está na 13º colocação entre mais de 30 regiões paulistas, com saldo de 600 novos postos de trabalho.

Dados do Panorama da Indústria de Transformação 2019, divulgados pelo Ciesp Alto Tietê, mostram que os setores de Celulose, Papel e Produtos de Papel; Veículos Automotores, Carrocerias e Autopeças; e Produtos de Minerais Não-Metálicos são os que mais empregam no Alto Tietê. Eles absorvem 30,8% da massa de mais de 70 mil trabalhadores formais que a indústria movimenta nas cidades de Biritiba Mirim, Ferraz de Vasconcelos, Guararema, Itaquaquecetuba, Mogi das Cruzes, Poá, Salesópolis e Suzano.

A indústria de transformação no Alto Tietê está dividida em 23 setores de atuação, que se caracterizam por uma grande diversidade – de papel a alimentos, passando por têxteis, móveis e remédios. No geral de empregos formais da Região, que em 2017 passava de 256 mil pessoas, ela responde por 24,3% da mão de obra. Quando somada à indústria extrativa mineral (0,5%); os serviços industriais de utilidade pública (1,1%); e a construção civil (3,1%), a representatividade da indústria no mercado de trabalho do Alto Tietê salta para 29%.

Elaborado pelo Departamento de Economia, Competitividade e Tecnologia da FIESP/CIESP – Federação e Centro das Indústrias do Estado de São Paulo, o Panorama da Indústria de Transformação reúne um conjunto de informações sobre a economia e a indústria na Região. Além dos subsídios que auxiliam na tomada de decisão de projetos e investimentos, o estudo também é uma diretriz para o mercado de profissionais, como aponta o diretor do CIESP Alto Tietê, José Francisco Caseiro.

“A indústria é reconhecida por oferecer os melhores cargos e salários em relação aos outros setores representativos da economia, como serviços e comércio. Saber quais são os segmentos da indústria que mais empregam, por sua vez, ajuda na escolha da carreira, em qual área se aperfeiçoar e onde estão as melhores oportunidades de trabalho”, ressalta o dirigente.

Das cerca de 1.800 empresas instaladas nas oito cidades da Região, os estabelecimentos de pequeno porte, com até 99 empregados formais, são maioria, com 93,3% do total. Já os estabelecimentos de porte médio, com 100 a 499 empregados formais, representam 5,7%, e os com mais de 500 empregados formais, grande porte, representam 1,0% do total.

Em termos de Economia, o Alto Tietê tem uma participação de 2% no PIB do Estado e ocupa o 12º lugar no ranking. “Apesar dos muitos problemas, a indústria segue como um dos setores mais importantes para a economia. Responde por 22% do PIB (11% só da indústria de transformação), por 32% dos tributos federais e para cada R$ 1,00 produzido na indústria, são gerados R$ 2,40 na economia como um todo. Portanto, é um setor que precisa e merece toda a atenção dos governos”, conclui o diretor do CIESP Alto Tietê.