Morre homem atingido por galho de árvore dia 27 em Itaquaquecetuba

Galho caiu em cima do representante comercial Carlos Sato dia 27, na Praça Padre João Álvares, Centro

 

PAULO QUARESMA – DO CORREIO INDEPENDENTE – Morreu na manhã desta segunda-feira (02/09) o representante comercial Carlos Sato, de 58 anos, que foi atingido por um galho grande de árvore na última terça-feira (27/08) em uma das principais praças de Itaquaquecetuba – uma das cidades do Alto Tietê – região que ocupa a porção leste da Grande São Paulo.

O acidente aconteceu quando Sato esperava pela esposa em um dos bancos instalados na Praça Padre João Álvares e o tronco caiu sobre a sua cabeça. No dia, ele foi socorrido por uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e levado em estado grave para o Hospital Santa Marcelina.

De acordo com a família da vítima, no hospital os médicos disseram que eram pequenas as chances dele sobreviver e que se isso ocorresse ficaria com sequelas. Sato ficou em coma induzido, e seu estado era muito grave. No Santa Marcelina, no dia do acidente não havia vaga disponível na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), e ele foi acomodado em um quarto e assistido pelos médicos, até esta segunda-feira, quando ele não resistiu ao tratamento e morreu.

O corpo de Carlos Sato foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) de Suzano. De acordo com a família, ele deverá ser cremado.

 

Família acusa a prefeitura

A família acusa a prefeitura da cidade por não fazer a manutenção nas árvores do local e de tentar esconder o problema, pois no mesmo dia do acidente, funcionários municipais foram até o local para fazer uma limpeza na praça e no entorno.

A Prefeitura de Itaquá nega falta de manutenção e diz que além do trabalho feito no dia do acidente, as árvores dessa praça foram vistoriadas em março último – há menos de seis meses.