Maria da Penha prende homem por desrespeitar medida protetiva

Desrespeito à medida protetiva de uma mulher levou o homem à prisão

 

DE MOGI DAS CRUZES – A Patrulha Maria da Penha da Guarda Municipal de Mogi das Cruzes prendeu, na tarde desta terça-feira (21/01), um homem acusado de desrespeito à medida protetiva. O caso ocorreu em frente ao local de trabalho da vítima, no Centro Cívico, e foi registrado na Delegacia de Defesa da Mulher.

A vítima acionou a Patrulha Maria da Penha para apoio a sua saída do trabalho, uma vez que o agressor estava em frente ao local tentando manter contato com ela. De acordo com as informações, ele permaneceu cerca de cinco horas em frente ao prédio. Ao chegar, os guardas municipais flagrou a vítima sendo abordada pelo acusado e deram voz de prisão ao homem por desrespeito à medida protetiva, que determinava que ele deveria manter distância de 200 metros da mulher e não poderia ter qualquer tipo de contato com ela.

O acusado resistiu, mas foi encaminhado à Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), no Parque Monte Lpibano, onde a prisão foi ratificada pela delegada e o homem permaneceu à disposição da Justiça.

 

A Patrulha em Mogi

A Patrulha Maria da Penha foi criada pela Prefeitura de Mogi das Cruzes em 2018 para fazer o atendimento e a proteção a mulheres vítimas de violência. O grupamento conta atualmente com quatro equipes que acompanham 442 medidas protetivas concedidas pela Justiça a mulheres vítimas de violência. Com o caso desta terça-feira, 45 agressores já foram presos.

“A violência contra a mulher é um problema grave em todo o país e que emm Mogi das Cruzes vem recebendo uma atenção especial para ser combatido. A Prefeitura criou a Patrulha Maria da Penha para aumentar a sensação de segurança e garantir a proteção às vítimas”, explicou o secretário municipal de Segurança, Paulo Roberto Madureira Sales.

A patrulha oferece acompanhamento preventivo e periódico, para garantir proteção às mulheres em situação de violência que possuem medidas protetivas de urgência expedidas pela Justiça, com base na Lei Maria da Penha (Lei 11.340/2006). Os juízes do Fórum de Mogi das Cruzes informam os casos que precisam de apoio da Guarda Municipal, que cumpre os deveres da Patrulha Maria da Penha.

 

Foto: Guilherme Berti/PMMC