Mogi das Cruzes vacina 11 mil pessoas no Dia D e bate recorde de público. Em nível nacional, 45% foram imunizados

 

DE MOGI DAS CRUZES – O município de Mogi das Cruzes vacinou 11.235 pessoas no último sábado (04/05) e atingiu o maior índice de imunização para o Dia D da Campanha de Vacinação contra a Gripe nos últimos três anos. O planejamento estratégico, trabalho em equipe e bom clima registrado no final de semana contribuíram para o sucesso da ação. A vacina está disponível nos postos de saúde e a campanha segue até 31 de maio.

Em nível nacional a cobertura vacinal chegou a 45% do público alvo após o Dia D – pouco menos que o índice atingido em Mogi. (leia no fim do texto).

Em 2017 e 2018, o município imunizou 6.377 e 5.060 pessoas, respectivamente, somente no Dia D. “Conseguimos dobrar essa média em 2019 graças ao empenho e comprometimento da nossa equipe e também à participação do público, que aproveitou o dia de folga para garantir a proteção contra a gripe”, comemorou o secretário municipal de Saúde, Francisco Bezerra.

Com a vacinação realizada no último sábado, Mogi está com 53.694 pessoas imunizadas, o que representa 45,48% do público-alvo. Deste total, foram aplicadas 13.220 doses em crianças de seis meses a 5 anos, 11 meses e 29 dias (cobertura de 41,60%); 4.069 em trabalhadores da saúde (37,53%); 2.568 em gestantes (54,81%); 568 em puérperas (73,77%); 19 indígenas; 23.893 idosos (58,69%); 1.733 professores de escolas públicas e privadas; 174 policiais, bombeiros e membros das Forças Armadas; e 7.450 pacientes com doenças crônicas especificadas pelo Ministério da Saúde (29,61%).

A Campanha de Vacinação contra a Gripe continua até o dia 31 de maio em todos os postos de saúde e unidades do Programa Saúde da Família, de segunda a sexta-feira, das 8 às 16h30. As pessoas que integram os grupos prioritários e que ainda não foram imunizadas devem procurar uma sala de vacina o quanto antes e garantir a proteção necessária antes da chegada do inverno.

A vacina disponível previne contra o vírus Influenza dos tipos A (H1N1), A (H3N2) e B, que possuem transmissão ocorre por meio de secreções das vias respiratórias da pessoa contaminada ao falar, tossir, espirrar. O objetivo da imunização do público-alvo é reduzir a ocorrência da doença, internações e mortes provocadas pela Influenza nos grupos mais vulneráveis, que têm maior risco de evolução da doença e suas complicações.

Mogi está com 53.694 pessoas imunizadas, 45,48% do público-alvo

Foram aplicadas 13.220 doses em crianças de seis meses a 5 anos, 11 meses e 29 dias – 41,60%

4.069 doses em trabalhadores da saúde – 37,53%

2.568 doses da vacina em gestantes  – 54,81%

568 doses em puérperas – 73,77%-

19 doses em indígenas;

23.893 doses em idosos – 58,69%

1.733 doses em professores de escolas públicas e privadas

174 doses em policiais, bombeiros e membros das Forças Armadas

7.450 doses em pacientes com doenças crônicas especificadas pelo Ministério da Saúde – 29,61%

 

Foto: Ney Sarmento / PMMC

______________________

Cobertura vacinal contra gripe chega a 45% após Dia D em todo o País

 

Camila Maciel – Agência Brasil – São Paulo – A cobertura vacinal contra a gripe alcançou 45% do público-alvo em todo o Brasil após o Dia D da campanha, promovido no último sábado (04/05). Segundo balanço do Ministério da Saúde, 5,5 milhões de pessoas foram imunizadas no dia de mobilização nacional, totalizando 26,9 milhões de pessoas vacinadas. O público-alvo é de 59,5 milhões e a meta é alcançar 90% de imunização.

De acordo com o governo, o país conta com 41,8 mil postos de vacinação e 196,5 mil profissionais. Até o momento, os estados com maior cobertura vacinal são: Amazonas (88,8%), Paraná (38,8%), Amapá (72,65%), Espírito Santo (58%), Alagoas (32,2%), Rondônia (54,8%). Os estados com menor cobertura, por sua vez, são: Rio de Janeiro (28,11%) Pará (31,9%), Roraima (34,2%) e Acre (35,2%).

A escolha do público-alvo para a vacinação segue recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS). São priorizados os grupos mais suscetíveis ao agravamento de doenças respiratórias. As puérperas são as que registram maior cobertura vacinal, com 226,6 mil doses aplicadas, o equivalente a 64,3% desse público. Em seguida estão os idosos (52,5%), gestantes (51,2%), crianças (48%) e indígenas (45,1%).

Os grupos que menos se vacinaram foram os profissionais das forças de segurança e salvamento (10,9%), população privada de liberdade (11,9%), pessoas com comorbidades (34,3%), funcionários do sistema prisional (35,8%), trabalhadores de saúde (40,3%) e professores (41,2%).

De acordo com o Ministério da Saúde, pessoas com doenças crônicas não transmissíveis, incluindo pessoas com deficiências específicas, devem apresentar prescrição médica no ato da vacinação. Já pacientes cadastrados em programas de controle das doenças crônicas do Sistema Único de Saúde (SUS) devem se dirigir aos postos em que estão registrados para receber a vacina, sem a necessidade de prescrição médica.

A vacina produzida para 2019 protege contra três subtipos graves da influenza (A H1N1; A H3N2 e influenza B).

Números da gripe

Até o dia 20 de abril, foram registrados 427 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) por influenza em todo o país, com 81 mortes. O subtipo predominante no país neste momento é o vírus influenza A (H1N1) pdm09, com registro de 213 casos e 55 mortes. O ministério destaca que foram enviados aos estados cerca de 9,5 milhões de unidades do medicamento fosfato de oseltamivir para o atendimento da demanda no ano de 2019. Segundo o órgão, o tratamento deve ser iniciado, preferencialmente, nas primeiras 48 horas após o início dos sintomas.