Mais de 1 milhão de alunos farão o Saresp nesta terça e quarta-feiras, 27 e 28

Terça e quarta (27 e 28) estudantes da rede estadual fazem o exame que avalia desempenho das escolas

 

Mais de um milhão de estudantes da rede paulista de ensino realizarão, nesta semana, o exame do Sistema de Avaliação de Rendimento Escolar do Estado de São Paulo (Saresp). Vale destacar que a iniciativa busca auxiliar a Secretaria da Educação do Estado a monitorar os avanços, planejar os programas de formação continuada e estabelecer metas para rede.

A prova será aplicada para jovens dos 3º, 5º, 7º e 9º anos do Ensino Fundamental e 3ª série do Ensino Médio. “A partir do desempenho dos alunos, obtemos dados consistentes, que nos permitem entender melhor a realidade das unidades”, salienta Patricia Monteiro, do Departamento de Avaliação Educacional Coordenadoria de Informação, Monitoramento e Avaliação Educacional (CIMA).

O exame avaliará habilidades e competências em Língua Portuguesa e Matemática, de acordo com o conteúdo de cada ano e série. Além dos estudantes da rede, a prova também poderá ser aplicada para os estudantes matriculados no SESI, redes municipais e particulares conveniadas.

Datas

Nesta terça-feira (27), ocorrerão as avaliações de Língua Portuguesa (para os 3º e 5º anos do Fundamental Anos Iniciais) e de Matemática (para os do 7º e 9º do Fundamental Anos Finais e 3º série do Médio). Na quarta-feira (28), os estudantes dos Anos Iniciais responderão as questões de Matemática e os demais, de Língua Portuguesa.

É importante frisar que, para jovens do 3º ano, a prova de Língua Portuguesa tem oito itens de respostas construídas e cinco de múltipla escolha. Em Matemática, o caderno é dividido em 13 itens de respostas construídas e cinco de múltipla de escolha.

Os matriculados dos 5º, 7º e 9º anos do Fundamental e da 3ª série do Médio respondem a 24 itens de múltipla escolha de Língua Portuguesa e outros 24 de Matemática.

Dias letivos

De acordo com a Secretaria da Educação, as datas em que as provas do Saresp serão aplicadas são considerados dias letivos normais. Os alunos realizarão os exames no início das aulas, de acordo com o turno (manhã, tarde ou noite).

Os estudantes do 3º ano do Ensino Fundamental terão três horas e meia para resolver as questões. Enquanto isso, a duração para os demais anos e séries é de duas horas. Já as provas do 3º ano do Ensino Fundamental serão aplicadas pelos professores da própria unidade, mas que lecionam em turmas diferentes.

Nas outras etapas, são recrutados docentes de outras escolas da rede estadual. Todos recebem o material lacrado, além de assinar um termo de compromisso e sigilo, com preservação da integridade do sistema.

Atendimento

Estudantes com deficiência podem solicitar uma hora a mais e têm direito a cadernos de provas acessíveis. O atendimento aos alunos no dia do exame é realizado, preferencialmente, como ocorre durante as aulas.

“São criados, quando necessário, suportes, como prova ampliada, em Braile, e a presença de pessoa autorizada para o apoio específico aos alunos, conforme indicado no Cadastro da Secretaria da Educação”, destaca Patricia Monteiro, do CIMA.

O Saresp, bem como as taxas de aprovação, reprovação e abandono da rede, constitui os parâmetros para a elaboração do Índice de Desenvolvimento da Educação do Estado de São Paulo (Idesp). A partir desses critérios, as equipes da pasta estadual conseguem pensar em estratégias para o ensino de toda a rede.

Resultados

Vale ressaltar, ainda, que o anúncio das notas do Saresp ocorre antes do começo do ano letivo, de modo que diretorias regionais possam avaliar os resultados. Em 2017, a disciplina de Matemática avançou em todos os ciclos de aprendizagem. O principal destaque foi para o ciclo 2 do Fundamental (9º ano), que obteve o maior crescimento, saltando de 251,0 (em 2016) para 256,7 (em 2017) – 5,7 pontos a mais.

Em Língua Portuguesa, a rede estadual de educação também teve desempenho positivo. O Ensino Médio, por exemplo, obteve o melhor resultado da história na disciplina, passando de 273,0 (em 2016) para 274,5 (em 2017).

Expectativa

Aluna da rede do Ensino Fundamental, Luzia Godoy ressaltou a expectativa no último Saresp do qual participou. “Fiquei um pouco nervosa para a prova. Porém, como eu tinha me preparado, fiz a avaliação de modo tranquilo e sobrou tempo de revisar”, explica.

O estudante Gustavo Henrique Kamimura Lopes, também da rede de Ensino Fundamental, destacou a sensação ao fazer o teste. “A prova de Matemática foi mais fácil para mim, uma vez que me dou melhor com números. Também não tive dificuldades para fazer a de Português”, comemora.

Na cidade de São Paulo, a equipe de profissionais da Escola Estadual República da Bolívia busca ampliar a última nota do Saresp (6,84). A unidade conta com salas do Ensino Fundamental Anos Iniciais. “Pretendemos bater a meta e aumentar 10% do número atual. Acredito que nossa escola está preparada. Fico tranquilo com o trabalho que foi realizado durante o ano”, explica o diretor da unidade, José Manzato Filho.