General Motors anuncia 10 bilhões de investimentos que também vão beneficiar fábrica de Mogi das Cruzes

GM preservará 15 mil empregos e deve criar outros 1,2 mil postos de trabalho. Anúncio foi nesta terça, 19

DE SÃO PAULO – A General Motors (GM), anunciou nesta terça-feira (19/03) um plano que prevê investimentos de R$ 10 bilhões no Estado de São Paulo. O valor será aplicado em tecnologia e na linha de montagem de um novo veículo, ainda não revelado. As unidades de São José dos Campos e de São Caetano receberão a maior parte dos investimentos, no entanto, haverá reflexos positivos também na fábrica de Mogi das Cruzes, localizada no distrito industrial do Taboão. O anúncio foi feito no Palácio dos Bandeirantes pelo presidente da General Motors América Latina, Carlos Zarlenga e pelo governador João Doria.

Com os novos investimentos, 15 mil empregos serão preservados no Estado e outros 1,2 mil postos serão criados (400 diretos e 800 indiretos). “Não só revertemos a decisão da GM de sair do Estado, como, agora, teremos R$ 10 bilhões em investimentos”, declarou Doria.

A montadora se beneficiará do Programa IncentivAuto, lançado em 8 de março pelo Governador, que concederá descontos de até 25% do ICMS devido nos produtos fabricados em São Paulo.

“Em São Paulo, nós vamos defender e gerar empregos. E faremos isso sempre através do entendimento, com políticas públicas. Assim, atuaremos na defesa do interesse dos trabalhadores”, finalizou o Governador.

IncentivAuto

A iniciativa tem o objetivo de modernizar a indústria automobilística no Estado, ampliar a produção de veículos, gerar novos empregos e aumentar a receita a partir da oferta de descontos progressivos, de até 25%, do ICMS devido nos produtos fabricados em São Paulo.

Para participar do programa, as empresas interessadas devem apresentar plano de investimento superior a R$ 1 bilhão no Estado e criar, no mínimo, 400 postos de trabalho. O desconto de ICMS aumenta de acordo com o tamanho do investimento feito pela montadora e só é repassado após a conclusão do aporte.

Entre os critérios, poderão ser aceitas propostas de novas fábricas, novas unidades de produção, novos produtos e expansão de plantas industriais. As empresas inicialmente deverão apresentar os projetos junto à Comissão de Avaliação da Política de Desenvolvimento Econômico do Estado de São Paulo, constituída por integrantes das secretarias da Fazenda e Planejamento e de Desenvolvimento Econômico.

Uma vez aprovados, os projetos serão acompanhados pela Investe São Paulo (Agência Paulista de Promoção de Investimentos e Competitividade) por meio de relatório demonstrativo semestral do cumprimento do cronograma de execução do projeto de investimento.

Bertaiolli participa do encontro

O deputado federal Marco Bertaiolli acompanhou a apresentação do plano de trabalho da General Motors, e avalia o que isso significa para a economia. “Esta foi uma resposta rápida do governo do João Doria, que encarou o problema de frente e manteve a GM no Estado sem que houvesse prejuízos à economia e à geração de emprego e renda”, destacou, pouco antes de embarcar para Brasília para participar da sessão no Congresso Nacional.

Segundo o parlamentar, cerca de mil novos empregos deverão ser gerados a partir do investimento, além da manutenção de aproximadamente 15 mil postos de trabalho. “Além disso, teremos a criação de novas células de produção da GM, o que fortalecerá e ampliará a geração de emprego na unidade de Mogi das Cruzes”, afirmou o deputado, que aproveitou o evento para conversar com o presidente da GM na América do Sul, Carlos Zarlenga, e com o vice-presidente da GM na América do Sul, Marcos Munhoz.

De acordo com Bertaiolli, que foi um dos responsáveis pela vinda da GM para o Taboão, na época em que era secretário de Indústria e Comércio de Mogi das Cruzes, a ação rápida do governador evitou maiores desdobramentos de uma crise que afetaria todo o Estado, uma vez que, além da produção direta, a multinacional é responsável por manter na ativa centenas de pequenas e médias empresas. “É uma cadeia de produção em que as peças precisam funcionar, caso contrário, a engrenagem se rompe”, ressaltou o deputado.

Bertaiolli avalia que o fechamento de unidades como a de São José dos Campos e de São Caetano afetaria a economia destes municípios e trataria consequências imediatas para Mogi das Cruzes e o Alto Tietê. “Esta é a retomada da economia que precisamos e tanto defendemos. Temos que trabalhar para manter os empregos, fortalecer as pequenas e micros empresas. Estas ações precisam ser rápidas e eficientes, como ocorreu com o governador Doria”, conclui o parlamentar.

 

O presidente da GM na América do Sul, Carlos Zarlenga e o deputado federal, Marco Bertaiolli