Franca vence Mogi das Cruzes/Helbor por 108 a 100, e espera Flamengo ou Botafogo na final

 

PAULO QUARESMA – DO CORREIO INDEPENDENTE * – O Mogi das Cruzes/Helbor até tentou. Lutou até o final, mas no terceiro jogo da série melhor de cinco contra o Sesi/Franca – na noite desta sexta-feira (10/05), em uma das semifinais do NBB Caixa (Novo Basquete Brasil), ficou oito pontos atrás e perdeu por 108 a 100, no Ginásio Pedrocão, completamente lotado, no interior do Estado. Nos três jogos, os francanos venceram o primeiro em Mogi e os outros dois em casa. Com isso, os mogianos estão fora da disputa do título do NBB Caixa (Novo Basquete Brasil).

Já os francanos voltam a decidir o título oito temporadas depois, e agora esperam o vencedor entre Botafogo x Flamengo para saber com quem vai decidir o título brasileiro.  última vez que o Franca chegou à decisão do NBB aconteceu na temporada 2010-11, quando perdeu a taça para o Brasília.

Na outra semifinal, ainda não decidida, os rubro-negros têm 2 a 0 na série melhor de cinco e podem carimbar a vaga neste sábado, às 14h, no terceiro jogo, com transmissão ao vivo pela Band.

Caso o alvinegro não avance, o Mogi das Cruzes/Helbor termina o campeonato na terceira posição.

Para os mogianos – atuais vices-campeões do NBB – mas que perderam os dois primeiros jogos das semifinais, a única esperança era vencer Franca nesta sexta-feira para levar a série de volta para o Ginásio Municipal de Esportes Professor Hugo Ramos, o Hugão, em Mogi, na próxima segunda-feira (13/05). Mas o sonho ficou pelo caminho.

O grande destaque do Franca foi mais uma vez Lucas Dias. Com 24 pontos, o ala-pivô se credenciou como o principal jogador da série. O time francano ainda teve Hettsheimer com 13 pontos e sete rebotes contabilizados. Pelo lado do Mogi, JP Batista (22 pontos e 11 rebotes), Deodato (26 pontos) e Shamell (22 pontos) tiveram boas atuações, mas não conseguiram evitar a derrota.

A partida foi bem acirrada do começo ao fim. Os donos da casa venceram os dois primeiros quartos por 30 a 24, cada, e o Mogi das Cruzes/Helbor os dois últimos períodos, 25 a 24 e 27 a 24.

“Claro que não era o resultado que a gente esperava. Viemos para Franca para vencer e jogamos de igual para igual com uma equipe fortíssima, candidata ao título desde o início do campeonato. Tentamos várias variações defensivas para conter o volume deles e o aproveitamento de três pontos e dois pontos, que estavam altíssimos hoje, mais do que no jogo 2. Essas variações defensivas não foram suficientes para segurar o ímpeto deles. Não conseguimos dominar o ritmo do jogo, que ficou sempre com eles. Eles sempre à frente e nós tentando recuperar o placar. Encostamos no segundo tempo, mas não foi o suficiente para vencer”, adverte o técnico interino Cadum Guimarães.

Cadum destaca o espírito de superação da equipe na série e também durante a temporada com todos os problemas de suspensões e lesões. “A equipe está de parabéns pelo que fez, pela reação que teve dentro do jogo, enfrentando uma equipe muito forte, que tem a força em vários jogadores e todos com bom aproveitamento e isso não conseguimos conter. O time sai de cabeça em pé pela luta, pela entrega, depois de uma temporada cheia de dificuldades. A palavra que marca esse time é a superação, por tudo que fez desde o início dos problemas, com as suspensões do Shamell, do Fabricio, do Guerrinha e do Danilo”, ressalta o técnico interino Cadum Guimarães.

A diretoria do Mogi das Cruzes/Helbor deve fazer um balanço da temporada da equipe nos próximos dias.

Os técnicos Helinho, do Sesi/Franca e Cadum, do Mogi das Cruzes/Helbor

Os mogianos e os desfalques

Para este jogo, mais uma vez o Mogi das Cruzes/Helbor não contou com o técnico Guerrinha, nem com o auxiliar Danilo Padovani, que cumprem suspensão pelo caso de doping do ala Shamell Stallworth. Inicialmente suspensos por seis meses, eles tiveram as penas reduzidas para dois meses pelo TJDAD (Tribunal de Justiça Desportiva Antidopagem). Como já tinham cumprido um mês, ficam fora por mais um e só voltariam se o time chegar à final do NBB. A equipe seguiu nesta sexta sob o comando do técnico interino Cadum Guimarães, auxiliado por Alexandre Rios.

Outro desfalque neste terceiro jogo contra o Sesi/Franca foi o ala-pivô Fabricio Russo, que está suspenso preventivamente por doping e ainda aguarda julgamento.

Mesmo com a derrota, torcedores de Mogi sabem que em comparação com os adversários, os investimentos na equipe mogiana são menores. E mesmo assim o time encerra mais uma temporada do NBB entre as quatro melhores equipes de basquete masculino profissional do País.- foi vice no ano passado e se o Flamengo for à final os mogianos ficam em terceiro lugar no campeonato nacional.

https://twitter.com/i/status/1127013145006895104

 

* Com informações da Liga Nacional de Basquete (LBN) e assessoria de imprensa do Mogi das Cruzes/Helbor