Fotógrafo é esfaqueado e morto no quarto de casa em Suzano

Luiz Catapani, de 51 anos, foi morto na tarde desta quinta-feira (26/07) em sua casa no Sítio S. José

 

DO CORREIO INDEPENDENTE – A Polícia Civil de Suzano ainda não tem pistas do autor, ou autores, do assassinato do fotógrafo Luiz Catapani, de 51 anos, dentro da sua própria casa de número 431, na Rua Cássia Francisco, no Sítio São José, em Suzano. A vítima teve um corte profundo no pescoço e o seu corpo foi encontrado por amigos por volta das 15h30 desta quinta-feira (26/07).
Desde a última segunda-feira (23/07) Catapani não respondia as ligações e mensagens enviadas por amigos e conhecidos ao seu telefone celular – que estava ligado a uma tomada na sala da residência. De acordo com a Polícia Militar, o fotógrafo foi encontrado no quarto, caído de lado, no chão, amarrado com as mãos para trás, pelo próprio cordão do roupão que vestia, a boca amordaçada por um pano de cor vermelha, e tinha um corte profundo no pescoço.
No quarto onde ele foi morto havia sangue por todos os lados, atrás da cabeça da vítima, incluindo a parede. No local foi encontrada uma espingarda, calibre 36, em cima de uma cadeira, que a polícia não sabe se pertencia ao fotógrafo ou teria sido colocada no local do crime para confundir e dificultar as investigações. Em uma gaveta havia uma faca ensanguentada.
A polícia não descarta nenhuma hipótese para o crime, inclusive investiga se algo de valor foi levado da casa do fotógrafo, o que poderia indicar latrocínio – que é o roubo seguido de morte.
De acordo com o Boletim de Ocorrência, registrado no Distrito Central de Polícia de Suzano pelo delegado Lourival Zacarias Noronha, policiais do Instituto de Criminalística de Mogi das Cruzes foram até o local para recolher e fotografar detalhes do crime. O caso foi encaminhado para a Delegacia de Homicídios, que vai investigar o caso.
Fotos: do destaque, do Facebook da Vítima
da ocorrência, de Hélio Torchi / Torvan / Divulgação
Faca ensaguentada com a qual o fotógrafo suzanense foi assassinado
Carro da funerária na casa da vítima, em Suzano, para retirar o corpo do fotógrafo