Fim de semana de muito fogo em matas; domingo 13, foi no Nova Mogilar

Área, em frente a vários condomínios, no Nova Mogilar, foi incendiada e causou váris problemas na região

 

PAULO QUARESMA – DO CORREIO INDEPENDENTE – Um incêndio em uma área de mata ao lado da Avenida Francisco Rodrigues Filho, no Mogilar – perto da divisa com César de Souza – assustou muita gente no fim da tarde e início da noite deste domingo (13/09) em Mogi das Cruzes, num fim de semana de várias ocorrências do gênero. Foram queimadas cerca de 2 mil metros quadrados de vegetação.

Os dias de forte calor, o ar seco com baixa umidade, contribuem com esse tipo de ocorrência, que teve outros focos em regiões diferentes da cidade.O fogo no Nova Mogilar começou antes das 18h e só foi totalmente debelado bem depois das 19h30 por homens do 17º Corpo de Bombeiros de Mogi das Cruzes, posto do Shangai,

O fogo no Nova Mogilar ocorreu na área de mata (onde futuramente será instalado ou parque municipal da cidade), ao lado da pista bairro-Centro, na Avenida Francisco Rodrigues Filho, bem ao lado da nova rotatória – a cerca de 100 metros da ponte sobre o Rio Tietê – onde é a divisa desse bairro com o distrito de César de Souza.

Os dias de forte calor, o ar seco com baixa umidade, contribuem com esse tipo de ocorrência, tanto que a Defesa Civil paulista emitiu alertas sobre o problema.

As fumaça, chamas e o barulho do fogo consumindo a mata assustaram moradores dos condomínios em frente – do lado oposto da Rodrigues Filho, ficaram preocupados. Único, Máximo, Villa das Flores Rosas e Villa das Flores Margaridas – além do pessoal da escola Melo Dante, que fica ao lado dessa mata. A forte fumaça, o cheiro e as chamas também assustaram moradores dos condomínios Flora II e Flora III.A foto acima foi feitas do alto do Condomínio Flex Mogi.

Moradores dos condomínios vizinhos dizem que naquele local existe uma obra (de esgoto), e questionam se não seria a empresa responsável que teria deixado algo combustível no local. No fundo da mata, há uma edificação de madeira, que se encontra no local há pelo menos duas décadas.

Um morador dos condomínios, que é engenheiro e preferiu não se identificar, questionou que, com tantas áreas de mata na cidade – e com a seca que se repete em todos os Invernos – se Mogi das Cruzes já não deveria ter uma Brigada específica para isso, ou então reforçar o Corpo de Bombeiros,que é um órgão estadual.

 

O que diz a Prefeitura

A Prefeitura de Mogi, por meio da sua Coordenadoria de Comunicação, não respondeu exatamente sobre os questionamentos feitos acima, mas enviou um WhatsApp com a posição de algumas secretarias: “As queimadas são um crime ambiental e o trabalho de fiscalização e combate é feito de forma conjunta por órgãos como a Polícia Ambiental, a Polícia Civil (por meio da Delegacia de Meio Ambiente) a Cetesb e o Corpo de Bombeiros. É importante frisar que o combate às queimadas é um dever da população, que deve adotar atitudes como nunca descartar pontas de cigarro ainda acessas em locais onde haja vegetação, menos ainda se esta vegetação estiver seca; descartar lixo de forma adequada e responsável, pois o material pode servir de alimento para o fogo; evitar fazer fogueiras em locais secos; não soltar balões (ato que constitui crime) e por fim nunca usar fogo para queima de lixo ou para a limpeza de plantações.”

 

Outras ocorrências

Dois dias antes – na sexta-feira (11/08), o fogo atingiu mais uma vez o chamado Brejinho de César de Souza, às margens do Rio Tietê. O local é uma APA – (Área de Preservação Ambiental). Durante cerca de três horas, foram consumidos pelo fogo cerca de 10 mil metros quadrados de mata.

Na mesma sexta-feira, pela madrugada, um trecho da Serra do Itapeti também foi consumido pelo fogo.

Do outro lado da cidade, na Vila Industrial, mais especificamente na Avenida Cavalheiro Nami Jafet, que consumiu uma grande área.

Já no domingo, além do fogaréu no bairro Nova Mogilar, a queda de um balão na Serra do Itapeti causou mais estragos. Os bombeiros enfatizam que soltar balão é crime ambiental. Em caso de ver fogo em mata, o cidadão deve entrar em contato imediatamente com os Bombeiros, pelo telefone 193 ou com a Polícia Militar, pelo 190 – ambas ligações gratuitas.