Mesmo com isenção, empresas querem que tarifa suba de R$ 4,10 para R$ 5,33 nos ônibus em Mogi

É isso mesmo que você está lendo. Decisão sobre o valor da passagem agora dependerá do Conselho Municipal de Transportes

 

DA REDAÇÃO DO CORREIO INDEPENDENTE – Finalmente nesta sexta-feira a Prefeitura de Mogi das Cruzes divulgou o valor da tarifa das linhas de ônibus municipais em Mogi desejada pelas duas empresas concessionárias, a CS Brasil, do Grupo JSL – Julio Simões Logísticas, e Princesa do Oeste, do Grupo Breda: R$ 5,33. Isso mesmo, cinco reais e trinta e três centavos, um aumento de 30% num país cuja inflação no período deverá ficar em torno dos 2,7%.

O CORREIO INDEPENDENTE já havia noticiado que as concessionárias já teriam pedido o aumento, logo que a Prefeitura de São Paulo e o Governo do Estado anunciaram em conjunto que os ônibus, trens da CPTM e Metrõ teriam um reajuste igual. 

Vale lembrar que o valor atual das passagens dos ônibus que fazem as linhas municipais em Mogi das Cruzes desde janeiro do ano passado é de R$ 4,10, acima dos R$ 3,80 cobrados na Capital paulista, que mesmo com o aumento marcado para o próximo dia 7, quando passarão par R$ 4,00 – a atual tarifa mogiana sem reajuste continuará mais alta.

Agora, a Prefeitura continuará a análise das tabelas de custo apresentadas pelas empresas para uma passagem tão alta como essa desejada, de R$ 5,33. Especialistas ouvidos pela reportagem do CORREIO INDEPENDENTE, dizem que esse valor é chutado para cima, para que depois a decisão final seja por um valor menor. “É como numa venda de um carro, casa ou outro produto, o vendedor pede um valo acima para se houver barganha poder baixar o valor e ainda ficar satisfeito”, disse um deles, que prefere não se identificar.

 Agora, os pedidos de aumento da tarifa em Mogi feito pelas duas empresas serão analisados pela Secretaria Municipal de Transportes, com base na planilha de custo.

Na cidade, uma nova tarifa precisa ser aprovada pelo Conselho Municipal de Trânsito, Transporte e Mobilidade Urbana. Esse conselho é formado por 20 membros, majoritariamente ligados direta ou indiretamente ao Poder Público, pois dez deles são servidores do Poder Executivo (Prefeitura) . Um desses necessariamente é o secretário municipal de Transportes, que preside o Conselho.

Há, ainda, outros dez representantes da sociedade civil, distribuídos da seguinte forma:
um da Ciretran de Mogi das Cruzes;
um oficial do 17º Batalhão da PM;
um representante da Ciesp/Fiesp;
um representante da Associação Comercial de Mogi das Cruzes;
cinco representantes de entidades civis de defesa dos interesses coletivos (indicados pelo Sindicato dos Transportes Rodoviários, Sindicato dos Taxistas, Sociedade Amigos de Bairro, Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Mogi das Cruzes e Conselho Municipal para Assuntos da Pessoa com Deficiência);
um representante das empresas concessionárias do transporte coletivo urbano.

______________________________________________________________________

Leia outras reportagens sobre toda a confusão em torno de benefícios concedidos pela Prefeitura para as empresas de transporte clicando nos links abaixo.

São Paulo: Trem, Metrô e ônibus vão subir dia 7 de janeiro para R$ 4,00. E em Mogi das Cruzes e região?
Câmara vota hoje isenção de ISS às empresas de ônibus até 2021

 

É isso mesmo que você está lendo. Decisão agora dependerá do Conselho Municipal de Transportes