Cultura de Mogi abre inscrições online para Viagem Literária, dia 12, no Centro Cultural

Evento será dia 12, mas inscrições já estão abertas

 

DE MOGI DAS CRUZES – A Secretaria de Cultura de Mogi das Cruzes abre inscrições para a Viagem Literária, que será realizada no dia 12 de novembro, no Centro Cultural, na área central da cidade. O evento será realizado na Sala Wilma Ramos (1º andar do Centro Cultural), com uma oficina às 14h30 e um bate-papo às 19h. Ambas as ações são gratuitas e serão comandadas pela escritora Dinha.

Para participar os interessados deverão fazer uma inscrição online por meio deste LINK. Podem participar pessoas com idades a partir de 12 anos.

O Viagem Literária é um programa dedicado ao estímulo à leitura e à valorização das bibliotecas públicas. Foi lançado em 2008 e, a cada temporada, circula por dezenas de cidades da região metropolitana, do interior e do litoral do Estado de São Paulo, levando contadores de histórias e escritores para palestras e bate-papos.

O programa visa incentivar a produção literária, promover diálogos e dinamizar a programação cultural das bibliotecas públicas municipais. A ideia é contribuir para transformar estes equipamentos em centros de convivência para toda comunidade, bibliotecas vivas que vão além de suas fronteiras em busca do leitor e de novos frequentadores.

Maria Nilda, a Dinha

Maria Nilda de Carvalho Mota, a Dinha, nasceu em Milagre, no Ceará, e cresceu em São Paulo, Capital. Educadora, ativista contra o racismo e líder comunitária, graduou-se em Letras pela Universidade de São Paulo (USP) e, entre 2011 e 2017, tornou-se mestre e doutora em Estudos Comparados de Literaturas de Língua Portuguesa. É autora de sete livros, entre eles De passagem, mas não a passeio (2006), Onde escondemos o ouro (2013), Zero a zero: 15 poemas contra o genocídio da população negra (2015), Maria do Povo / María Pepe Pueblo (2019) e Diário do fim do mundo (2020). Em 2013, fundou o coletivo editorial de mulheres negroperiféricas Edições Me Parió Revolução e, em 2019, tornou-se patrona da Academia Estudantil de Letras da EMEF Cândida Dora Pretini.