Crime ambiental: MP deflagra “Operação Húbris” e prende 10

Suspeitos foram presos por vender lotes em áreas ambientais em Mogi e Biritiba. Cerca de 600 pessoas foram lesadas, diz o MP

 

A Promotoria do Meio Ambiente e Habitação de Mogi das Cruzes deflagrou, na manhã desta sexta-feira (1º/12), a Operação Húbris, em conjunto com a Polícia Militar. O objetivo foi desarticular uma organização criminosa que atuava em Mogi das Cruzes e Biritiba Mirim. O grupo é acusado de cometer crimes ambientais, de parcelamento ilegal de solo, estelionatos e lavagem de dinheiro.

Foram cumpridos nove mandados de prisão e cerca de 20 de busca e apreensão, contando com a participação de dez promotores e 60 policiais militares. Entre os presos nessa operação inclui uma empresária, responsável por uma imobiliária, que é acusada de vender o mesmo terreno para várias pessoas. Um dos procurados por mandado já estava na prisão, totalizando dez pessoas.

A reportagem do CORREIO INDEPENDENTE apurou ainda que foram cumpridos mandados de busca em Mogi das Cruzes, Suzano, Ribeirão Pires, São Bernardo, Santo André, Mauá e na Capital

Segundo o MP, os delitos são investigados em procedimento investigatório criminal e envolvem ao menos cinco loteamentos ilegais situados em Mogi das Cruzes e dois no município vizinho de Biritiba-Mirim, totalizando aproximadamente 600 lotes e fazendo centenas de vítimas.

Ainda de acordo com o MP, foram, apreendidos milhares de documentos e contratos, computadores, centenas de cheques, além de R$ 31 mil em moeda nacional, e 1.000 Euros, entre outros ítens., nas vistorias feitas nas empresas CPLAM Engenharia ME, CCB Incorporadora e Empreendimentos Ltda., Suniga Incorporadora, MRN Empreendimentos, Moriá Empreendimentos Imobiliários e Menconi Incorporadora e Construtora, bem como em residências de empresários e corretores de imóveis.