Crianças de 4 anos devem receber reforço da vacina contra febre amarela

Vacina contra febre amarela também está disponível em todos os Postos de Saúde e unidades da Estratégia Saúde da Família (ESF)

 

DE MOGI DAS CRUZES – Até o dia 13 de março, quando termina a primeira etapa da Campanha de Vacinação contra o Sarampo, a vacina contra febre amarela também está disponível em todos os Postos de Saúde e unidades da Estratégia Saúde da Família (ESF) em Mogi das Cruzes. O objetivo é aproveitar a movimentação para aplicar a dose de reforço indicada para crianças e para quem ainda não foi imunizado.

Desde o início deste ano, o Ministério da Saúde realiza o reforço da vacinação contra febre amarela em crianças de 4 anos. A primeira dose é aplicada aos nove meses. Para quem tem entre 5 e 59 anos, a indicação continua sendo dose única. “Quem tiver alguma dúvida deve procurar uma unidade de saúde mais próxima e buscar orientações com o profissional da sala de vacina”, explica a chefe da Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde, Lilian Peres Mendes.

Em 2017, o Ministério da Saúde seguiu as orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS) de ofertar apenas uma dose da vacina de febre amarela durante toda a vida. Porém, estudos científicos recentes demonstraram uma diminuição na resposta imunológica da criança que é vacinada muito cedo, aos 9 meses, como prevê o Calendário Nacional de Vacinação. Por isso, o Governo Federal passou a ofertar uma dose de reforço para as crianças aos quatro anos de idade.

A imunização contra febre amarela é recomendada devido à circulação do vírus silvestre, atualmente em todo o território nacional, mas a vacina tem algumas contraindicações e não deve ser aplicada em gestantes. Portadores de HIV, pacientes com tratamento quimioterápico e transplantados devem consultar o médico sobre a necessidade da vacinação.

A febre amarela é uma doença causada por um vírus transmitido pela picada de mosquitos infectados e não há transmissão direta de pessoa a pessoa. Seus sintomas iniciais são febre com calafrios, dor de cabeça intensa, dores nas costas, dores musculares, vômitos e fraqueza. Mogi das Cruzes não tem registros da doença. Em 2018, um homem faleceu após contrair a doença em Santa Isabel.