Cresce número de furtos em Mogi das Cruzes em maio; estupro tem ligeira queda. Veja os números gerais

Dados foram divulgados nesta terça-feira (25/06) pela Secretaria de Segurança Pública. Tentativa de homicídio também aumentou

 

PAULO QUARESMA – DO CORREIO INDEPENDENTE – Mogi das Cruzes fechou o mês de maio com um aumento no número de furtos, nas tentativas de homicídio, e ligeira queda nos casos registrados de estupro, roubos de veículos e furtos em geral. As estatísticas de criminalidade do Estado de São Paulo referentes ao mês de maio de 2019, foram divulgadas às 12h desta terça-feira (25/06) pela Secretaria de Segurança Pública estadual (SSP-SP).

Entre as altas está o número de furtos e tentativas de homicídio no município – um dos dez do Alto Tietê – região que ocupa a porção leste da Grande São Paulo. O registro de homicídio doloso, zerado em abril, teve um caso registrado em maio. Nos furtos, em abril foram computados 324, e em maio subiu para 327. As tentativas de homicídio passaram de 4 em abril para 7 em maio.

Entre as quedas está o número de estupros, que caiu de 12, em abril, para 11 em maio. Caiu também o total de lesão corporal dolosa, dos 79 registros em abril, para 62 em maio.

O total de roubos se mante igual, entre abril e maio – com 98 registros em cada mês. Já as ocorrências de roubo de veículos baixaram dos 31, em abril, para 19 em maio.

Veja, abaixo, quadro geral de registros Secretaria de Segurança Pública de janeiro a maio de 2019 em Mogi das Cruzes

Homicídio e latrocínio caem na Grande São Paulo (exceto números da Capital

 

A Região Metropolitana de São Paulo (38 municípios, exceto a Capital) fechou maio com redução nos casos e vítimas de homicídios dolosos e latrocínios, bem como em todas as modalidades de roubos e nas ocorrências de extorsões mediante sequestro.

Os homicídios dolosos caíram 4,2%, passando de 48 para 46. As vítimas desta modalidade de crime reduziram ainda mais. Com uma queda de 5,9%, foram contabilizados 48 casos em maio deste ano, contra 51 no mesmo período do ano passado – são os menores índices da série histórica, iniciada em 2001.

Com as reduções, as taxas de homicídios dolosos dos últimos 12 meses (de junho de 2018 a maio de 2019) ficaram em 7,09 casos e 7,56 vítimas a cada 100 mil habitantes. Os números são os menores da série histórica.

Os latrocínios também caíram no quinto mês deste ano. Os casos e vítimas deste crime reduziram 75%, passando de oito para dois casos, se comparado a maio de 2018. São as menores quantidades da série.
As extorsões mediante sequestro caíram de um para zero na comparação mensal. É a terceira vez na série que o indicador não contabiliza nenhum caso.

Os roubos em geral reduziram 14,6%, com 4.997 registros em maio de 2019, ante 5.849 no mesmo mês de 2018. Os roubos de veículos diminuíram 24,8% e atingiram o menor total da série – 1.231 casos.

 

Capital reduz casos e vítimas de homicídios, estupro e todas as modalidades de roubos 

 

A Capital paulista fechou o mês de maio de 2019 com redução nos casos e vítimas de homicídios e queda nos estupros e nos roubos em geral, de veículos, de carga e a banco, na comparação com o mesmo período do ano passado.

O número de casos de homicídios dolosos na Capital apresentou diminuição de 29,7%, passando de 64 para 45 casos em maio. O indicador de vítimas baixou 24,2% (de 66 para 50). As somas são as menores da série histórica, iniciada em 2001, ao lado do total registrado em 2017.

Com as reduções, as taxas dos últimos 12 meses (de junho de 2018 a maio de 2019) ficaram em 5,58 casos e 6,02 vítimas a cada 100 mil habitantes – são os menores índices contabilizados na série.

Os estupros recuaram em 15% – foram 199 boletins de ocorrência desta natureza em maio deste ano, contra 234 no quinto mês de 2018.

Os indicadores de casos e vítimas de latrocínio subiram 40% no quinto mês do ano, passando de cinco para sete. Em maio foi contabilizada uma extorsão mediante sequestro – em igual mês do ano passado não houve registro.

Os roubos em geral diminuíram 7,7% em maio, com 969 casos a menos que o mesmo mês do ano anterior – passando de 12.516 para 11.547. Os roubos de veículo reduziram 21,1%, com 1.914 casos – o menor total da série.

Os roubos de carga caíram 15% no mês, quando foram registrados 283 casos, ante 333 em igual período do ano passado. É o menor número desde 2003. Os roubos a banco diminuíram 80% – de cinco para um no mês de maio – atingindo a menor soma da série.
Nos furtos em geral e de veículos houve alta de 24% e 3,9%, respectivamente. O primeiro indicador subiu de 16.520 para 20.480 na comparação mensal. O segundo passou de 3.322 para 3.450.

Produtividade

O trabalho realizado pelas três polícias na Capital resultou em 3.509 prisões no mês. No mesmo período, 238 armas de fogos foram retiradas das ruas e 767 flagrantes de tráfico de drogas foram registrados.