Covid-19: terça, 30, Alto Tietê-Condemat: 1.300 mortos, 16.540 casos e 10.552 curados; País: 59.594 mortos, 1.402.041 casos e 790.040 curados

Região das 12 cidades do Alto Tietê-Condemat teve 43 mortes neste último dia de junho, 30. No Alto Tietê geográfico, sem as cidades de Guarulhos e Santa Branca, o total de mortos é de 648

 

PAULO QUARESMA – DO CORREIO INDEPENDENTE * – Nesta terça-feira (30/06) as 12 cidades do Alto Tietê – região do Condemat (as dez do Alto Tietê geográfico, mais Guarulhos e Santa Branca), registraram 42 mortes por Covid-19, doença causada pelo novo Coronavírus. O total geral agora é de 1.300 vítimas fatais – o que corresponde a 7,8% do total de infectados.

 

Condemat não vai mais informar planilha diária de casos na região – LEIA MAIS ABAIXO

 

Se contabilizarmos somente as dez cidades do Alto Tietê geográfico – (exceto Guarulhos e Santa Branca, que juntas contabilizam 652 mortos), o número de vitimas fatais pela doença e de 648.

Vale lembrar que o Condemat (Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê) representa dez cidades do Alto Tietê geográfico – Arujá, Biritiba Mirim, Ferraz de Vasconcelos, Guararema, Itaquaquecetuba, Mogi das Cruzes, Poá, Salesópolis, Santa Isabel e Suzano – mais Guarulhos e Santa Branca. No total, cerca de três milhões de pessoas vivem nesses 12 municípios.

As cidades de Guarulhos (650 registros), Mogi das Cruzes (166) e Itaquaquecetuba (131) lideram as estatísticas de óbitos na área do Alto Tietê-Condemat.

Casos da doença na região

Desde o primeiro caso confirmado de Covid-19, registrado oficialmente em março – e com a conclusão das estatísticas deste último dia de junho (30/06), a área do Condemat tem 16.540 pessoas infectadas pela doença.  O número corresponde a 31% das 52.826 notificações registradas nos 12 municípios.

E dessas 52.856 notificações, 23.631 foram descartadas, ou seja, 44,7% das pessoas que apresentavam sintomas da doença e que efetivamente não estavam com o vírus.

Outros 8.415 pacientes aguardam o resultado de exames laboratoriais e enquanto não for confirmada ou descartada a Covid.

Entre os casos confirmados de Coronavírus na área do Alto Tietê-Condemat, 10.552 pessoas (63,7%) conseguiram se recuperar

 

Região registra desaceleração no número de mortos pela doença

O Condemat fez uma comparação entre dois períodos deste mês de junho e os números mostram que está havendo uma desaceleração no número de mortos nas 12 cidades do Alto Tietê-Condemat.

Isso porque enquanto entre os dias 12 e 18 de junho foram contabilizadas 156 novas vítimas fatais (18,4% de evolução dentro da semana), no período sequente, de 19 a 25 de junho, as mortes somaram 121 casos (11,7% de evolução). Vale ressaltar que neste último período o total de óbitos no Estado de São Paulo cresceu 12,5%.

 

Capacidade hospitalar

Em 11 das 12 cidades do Alto Tietê-Condemat  (a exceção é Santa Branca), existem atualmente 470 leitos de UTI Covid-19, o que representa aproximadamente 50% de acréscimo desde o início da pandemia. Com isso, a média é de 15,7 leitos a cada 100 mil habitantes. A taxa de ocupação é inferior a 60% (dado do último dia 23, considerando os últimos sete dias).

Na próxima semana a capacidade hospitalar do Alto Tietê será ampliada com a abertura do Hospital das Clínicas – Auxiliar de Suzano para atendimento de pacientes da região. A data prometida pelo Estado é dia 30, com previsão inicial de 10 leitos de UTI Covid-19 e 30 de Clínica Médica. Pelo compromisso firmado com o Condemat e o Ministério Público Federal, o cronograma de investimento do Estado para esse mês contempla também a disponibilidade de leitos no Hospital Dr. Arnaldo Pezzutti Cavalcanti, no Santo Angelo,em Mogi das Cruzes.

 

Os mortos desta terça-feira (30/06) no Alto Tietê-Condemat

As 43 vítimas fatais da região do Alto Tietê-Condemat – nesta terça-feira (30/06), último dia de junho – oficializados pelas Vigilâncias Epidemiológicas municipais, ocorreram nas cidades de Arujá, Guarulhos, Mogi das Cruzes e Suzano .  – veja as cidades, casos, sexos e idades abaixo.

 

Arujá: Homem – 50 anos.

Guarulhos: 33 óbitos – perfis não divulgados – (Desde quinta, 25/06, a Vigilância Epidemiológica da cidade alterou a forma de divulgação e não mais disponibiliza as informações de sexo e idade por caso).

Mogi das Cruzes: Homem – 43 anos, Mulher – 72 anos, Mulher – 84 anos, Homem – 73 anos, Homem – 70 anos, Mulher – 70 anos.

Suzano: Homem – 62 anos, Homem – 77 anos.

________

Ranking de mortos no Alto Tiete-Condemat até esta terça-feira, 30 de junho

Guarulhos – 650 mortos
Mogi das Cruzes – 166
Itaquaquecetuba – 131
Suzano – 108
Ferraz de Vasconcelos – 74
Poá – 57
Santa Isabel – 41
Arujá – 40
Guararema – 16
Biritiba Mirim – 10

Salesópolis – 5
Santa Branca – 2 
Total – 1.300 mortos

 

  Ranking de infectados no Alto Tiete-Condemat até esta terça-feira, 30 de junho

Guarulhos – 8.983 infectados
Mogi das Cruzes – 2.109
Suzano – 1.585
Itaquaquecetuba – 1.168
Ferraz de Vasconcelos – 756
Arujá – 602
Poá – 599
Santa Isabel – 397
Guararema – 151

Biritiba Mirim – 81
Salesópolis – 59
Santa Branca – 50
Total – 16.540 casos confirmados 

 

  Ranking de curados no Alto Tiete-Condemat até esta terça-feira, 30 de junho

Guarulhos – 6.349 recuperados
Mogi das Cruzes – 1.366
Suzano – 1.076
Arujá – 485
Itaquaquecetuba – 390
Santa Isabel – 285
Ferraz de Vasconcelos – 274
Poá – 165
Guararema – 86
Biritiba Mirim – 50
Salesópolis – 26
Santa Branca – 0
Total – 10.552 recuperados

 

Planilha do Coronavírus nas 12 cidades do Alto Tietê-Condemat – 30.06.2020

_________

Condemat não vai mais divulgar dados diários; somente uma vez por semana

A partir desta quarta-feira (01/07) o Condemat  (Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê) não fará mais a divulgação diária dos dados municipais do Coronavírus (notificações/descartados, casos confirmados, óbitos e recuperados) e sim apenas um dia por semana, com dados retroativos.
A decisão foi tomada pela direção do consórcio de 12 municípios diante da divergência das estatísticas das Vigilâncias Epidemiológicas das cidades e do Estado, o que acaba gerando interpretações diferenciadas dos indicadores, principalmente para fins das classificações de fases do Plano SP, visto que o Comitê de Contingenciamento do Governo do Estado considera exclusivamente a base de dados estadual.
Desde o início da pandemia, o Condemat deixou claro a existência de um “delay” nos sistemas de notificação – municipal, estadual e nacional -, o que implica em números diferentes para os mesmos indicadores. E sempre considerou os dados das Vigilâncias Epidemiológicas como os que melhor retratam o dia a dia dos municípios. Porém, como para o Plano SP são consideradas apenas as estatísticas da base estadual, o Consórcio adotará esse sistema como referência, a fim de evitar desencontros de informações.
Então, a partir deste mês de julho, uma vez por semana (às sextas-feiras), o consórcio divulgará a planilha com os dados gerais dos 12 municípios do Alto Tietê-Condemat e por cidade, respectivos aos sete dias anteriores, conforme a estatística estadual disponível (casos confirmados e óbitos).
A primeira divulgação neste novo formato está prevista para a próxima sexta-feira (03/07).
Com as dificuldades de coletar os dados confiáveis das 12 cidades, o CORREIO INDEPENDENTE irá fornecer, diariamente (a não ser às sextas), os dados nacionais e das duas principais cidades do Alto Tietê -Mogi das Cruzes e Suzano.

______________

País tem 59.594 mortos, 1.402.041 casos e 790.040 curados nesta terça-feira, 30

 

PAULO QUARESMA – DO CORREIO INDEPENDENTE * – Os dados informados no início da noite desta terça-feira (30/06), último dia de junho, registram 1.280 novos óbitos, um aumento de 2,1% em relação ao balanço da segunda-feira, totalizando 59.594 vítimas fatais pela doença no País. Nas últimas 24h, foram registradas 525 mortes nos sistemas oficiais do Governo do Brasil, a maior parte aconteceu em outros períodos, mas tiveram conclusão das investigações com confirmações das causas por Covid-19 apenas neste período. Do total, 349 óbitos foram confirmados nos últimos três dias

A taxa de letalidade (número de mortes em relação ao total de casos) ficou em 4,3%. A mortalidade (quantidade de óbitos por grupo de 100 mil habitantes) atingiu 28,4.

Outros 33.486 novos casos da doença foram confirmados nesta terça-feira, totalizando  1.402.041 pessoas infectadas no País,  um aumento de 2,4% em relação aos números da segunda-feira. Com isso, a incidência dos casos de Covid-19 por 100 mil habitantes subiu para 667,2.

O balanço aponta ainda que 552.407 pacientes estão em observação.

 

Número crescente de pacientes curados da Covid-19

O Ministério da Saúde registrou, nesta terça-feira (30), o total de 790.040 pessoas curadas do coronavírus em todo o país. O número é superior à quantidade de casos ativos (552.407), que são pacientes em acompanhamento médico. O registro de pessoas curadas já representa mais da metade do total de casos acumulados (56,3%). As informações estão atualizadas até às 18h30 e foram enviadas pelas Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde.

Cardiopatas, diabéticos e maiores de 60 anos

De acordo com o Ministério da Saúde, as comorbidades ou fatores de risco mais frequentes dentre as vítimas fatais por Covid-19 notificados são cardiopatia e diabetes, sendo que a maior parte desses casos que evoluíram ao óbito eram indivíduos com 60 ou mais anos de idade.

Covid-19 nos estados

Os estados com mais mortes em função da pandemia: São Paulo (14.763), Rio de Janeiro (10.080), Ceará (6.146), Pará (4.920) e Pernambuco (4.829). As Unidades da Federação com menos óbitos: Mato Grosso do Sul (46), Tocantins (200), Roraima (283), Santa Catarina (341) e Acre (365).

 

Boletim epidemiológico covid-19
Boletim epidemiológico Covid-19 – Ministério da Saúde

____________

Não se esqueça: primeiro caso da doença no Brasil, já em pleno “fervo do Carnaval”

 

Vale destacar que o primeiro caso de paciente infectado pela Covid-19 no Brasil foi registrado em 26 de fevereiro de 2020,em pleno Carnaval, onde milhões de turistas, nacionais e internacionais, vieram para São Paulo, foram ao Rio de Janeiro e para várias regiões do Nordeste. Na ocasião, nenhuma autoridade estadual contestou o fato das enormes aglomerações pela folia.

Pelo Twitter, o ex-ministro da Saúde, Nelson Tech, na segunda-feira (22/06) confirmou essa tese como uma das que fez o vírus se espalhar com muita rapidez por todo o Brasil.

Essa afirmação tem base, agora, em um novo estudo que comprova que o vírus já circulava pelo País em fevereiro.

Já a primeira morte oficial pela doença foi registrada em 12 de março de 2020, dando mais força a tese de que o Carnaval foi pernicioso na disseminação do vírus – incentivado principalmente pelos governadores João Doria, de São Paulo, Wilson Witzel, do Rio de Janeiro, governantes do Nordeste e por emissoras de TV, como a Rede Globo, Band, entre outras, cuja programação artística e comercial lucra com a folia.

 

Clique e veja painel geral do País, incluindo dados de todos os municípios, no novo site  no http://susanalitico.saude.gov.br/#/dashboard/

 

*Com Condemat, Agência Brasil e Ministério da Saúde

 

Foto: Arquivo