Construtor assassinado em Itaquá 35 dias após sofrer atentado em Mogi

DO CORREIO INDEPENDENTE – Trinta e cinco dias após ter sido alvo de um atentado a bala, e conseguido sobreviver em razão de se fingir de morto, um construtor de 63 anos de idade não teve uma segunda chance e acabou assassinado na manhã desta segunda-feira( 24/09), em Itaquaquecetuba, cidade mais violenta entre os dez municípios do Alto Tietê – região que ocupa a faixa leste da Grande São Paulo.

De acordo com a polícia, na Rua dos Vereadores, no Jardim Maria, em Itaquá, o atirador se aproximou do construtor e do outro homem que andava pelo local perguntando sobre o nome de uma rua e, antes mesmo de obter a resposta, sacou uma arma e atirou várias vezes. João José dos Santos foi atingido na cabeça e tórax e morreu no local. Quando o socorro chegou, já não havia mais o que fazer. Já o outro homem foi alvejado nas pernas e foi socorrido por populares e levado para o Hospital Santa Marcelina, que fica na cidade, onde, após medicado, ele segue internado em observação.

As características do atirador foram divulgadas pela polícia. Ele é negro, magro e baixo e no momento em que atirou nas vítimas carregava uma bolsa e envelopes nas mãos. Após os disparos, ele saiu correndo pela rua e não conseguiu ser alcançado. Ainda não há confirmação sobre câmeras de monitoramento no local que possam dar mais detalhes e identificar o criminoso. Especula-se que a motivação dos atentados tenha a ver com propriedades da vítima. Além dos atentados – Santos já estava sendo ameaçado de morte.

Primeiro crime

A primeira vez que João José dos Santos foi alvo de um atentado foi em Mogi das Cruzes, na noite de 20 de agosto – há exatos 35 dias. Na ocasião, ele foi alvejado em frente a sua residência, no distrito de Jundiapeba, após atender desconhecidos, que pediram ajuda para consertar um carro que estaria com uma pane. Na ocasião, após ser baleado, ele se fingiu de morto, até a fuga dos agressores e conseguir chegar a um posto policial.

De acordo com Boletim de Ocorrência registrado no 2º Distrito Policial Dr. Oswaldo Moreira Motta, em Braz Cubas, Santos chegou com a mulher em casa no início daquela noite. Três moças bateram na porta, momentos depois e uma falou para a mulher que um homem, que estava com o carro quebrado, precisava da ajuda do construtor.

Quando ele foi ao portão ver o que estava acontecendo, e tentar ajudar na suposta pena no veículo, foi baleado e caiu no chão, quando fingiu estar morto e despistar os bandidos, que fugiram em um carro. Nesse primeiro atentado ele foi socorrido e levado para a Santa Casa de Mogi das Cruzes, na área centrla da cidade.

Foto: Reprodução CNH / Polícia / Divulgação