Compra de material escolar movimenta comércio de Mogi, diz ACMC

A expectativa da ACMC – Associação  Comercial de Mogi das Cruzes é de um crescimento nas vendas de 5% a 10% na comparação com 2018

 

DE MOGI DAS CRUZES – A procura dos pais pelos melhores preços e produtos para aquisição da lista de material escolar tem sido responsável pelo aumento do movimento no comércio local neste mês. A expectativa da ACMC – Associação Comercial de Mogi das Cruzes é de um crescimento nas vendas de 5% a 10% neste ano, na comparação com o mesmo período de 2018.

O otimismo com a volta às aulas 2019 vem da grande movimentação de consumidores nas papelarias registrada na primeira quinzena de janeiro, da melhora – ainda que tímida – da economia, das novidades e dos preços dos produtos que compõem a lista de material escolar.

“Não há grande alteração de preços em relação ao ano passado e isso beneficia o consumidor, que ainda conta com uma variedade grande de produtos e marcas, com valores para atender os diferentes orçamentos”, ressalta o diretor da ACMC, Roberto Assi, que atua no setor de papelaria.

O dirigente reforça a importância da pesquisa e da compra antecipada para evitar a correria e a redução na disponibilidade de produtos. Segundo Assi, a maioria das papelarias oferece facilidades para os pais, como cotações online, separação prévia dos materiais e vendas coletivas para descontos maiores. Ele destaca também a importância da análise do custo-benefício dos produtos vendidos no formato encartelado/blistado, pois o custo da embalagem pode encarecer o valor em até 50% em relação ao item vendido na forma avulsa.

“As papelarias têm se adequado para atender as expectativas dos diferentes consumidores, desde aquele que não tem muito tempo para ir às compras até aquele que gosta de escolher cada tipo de produto”, diz o diretor da ACMC.

A volta às aulas, de acordo com o dirigente, é responsável por um impulso importante no comércio no início do ano, pois além das papelarias movimenta também os setores de uniformes escolares e calçados. “Além disso, quando o consumidor está nas ruas ele está suscetível a comprar e os comerciantes de outros segmentos também podem aproveitar isso para alavancar os negócios com liquidações e outros atrativos”, conclui Assi.

 

 Tributação

 

Assim como em outros produtos, os itens que compõem a lista de material escolar também possuem alta incidência de impostos. Do preço de uma caneta, por exemplo, 49,95% corresponde a carga tributária. Nos lápis e cadernos, a tributação representa 34,99%, na borracha 49,29% e, na mochila, 39,62%, segundo pesquisa feita pela Associação Comercial de São Paulo.