Catarata: Mogi quer zerar até o fim do ano a fila de espera de cirurgias

Objetivo é concluir cirurgias até o fim do ano. Para isso, foram credenciadas duas clínicas especializadas

 

DE MOGI DAS CRUZES – A Prefeitura de Mogi das Cruzes concluiu o credenciamento de duas clínicas especializadas para realização de cirurgias de catarata: Instituto de Olhos Parolin e Hospital Visão. O objetivo é zerar, até o final do ano, a fila de espera para pacientes que já aguardam pelo procedimento em cadastros realizados pela Secretaria Municipal de Saúde e Santa Casa de Misericórdia.

Atualmente, a Secretaria Municipal de Saúde está finalizando o contrato com as empresas especializadas para iniciar, em agosto, a convocação dos pacientes mais antigos para realização de exames pré-operatórios. “No começo do ano tínhamos programado diversos mutirões para zerar filas de espera nas principais demandas da saúde na cidade. Infelizmente, a pandemia do novo coronavírus nos obrigou a adiar esses procedimentos, que estão sendo retomados agora, com toda cautela e cuidado necessários”, explica o prefeito Marcus Melo.

A cirurgia de catarata não é um procedimento invasivo e, para sua realização, serão adotados todos os protocolos de segurança para proteção dos pacientes. Os contratos em andamento têm validade de um ano, podendo prorrogar por mais um ano. Inicialmente, estão programadas 1.988 cirurgias – número de pacientes já cadastrados à espera do procedimento – que devem ser realizadas até o final deste ano. Mogi irá pagar tabela SUS – Sistema Único de Saúde, ou seja, R$ 920,11 por cada cirurgia de catarata, com investimento total de R$ 1.829.178,68, entre pré-operatório, cirurgia, consultas pré e pós.

Ressonância magnética

Também foi credenciada uma empresa especializada em ressonância magnética para realização de 1.198 exames para pacientes que aguardam chamado. Cada exame será adquirido pelo valor da tabela SUS (R$ 268,75), com investimento total de R$ 321.962,50. Os exames devem ser realizados a partir de agosto pelo Cejam – Centro de Estudos Dr. João Amorim.

A realização das cirurgias de catarata e dos exames da ressonância são resultados de emendas parlamentares indicadas pelos deputados federais Alex Manente e Celso Russomano, totalizando R$ 2.151.153,00. Deste total, R$ 1.829.178,68 serão utilizados para a realização de 1.988 cirurgias de catarata e R$ 321.962,50 para 1.198 exames de ressonância magnética.

Foto: ProMed