Atenção: casas vazias podem virar criadouros do mosquito da dengue

Para quem vai viajar e deixar a casa fechada, a orientação do ministério é não deixar oportunidade para o vetor se proliferar

 

Agência do Rádio – O período de maior transmissão da dengue coincide com o Verão, segundo o Ministério da Saúde. Isso se dá por conta dos fatores climáticos favoráveis à proliferação do mosquito Aedes aegypti em ambientes quentes e úmidos.

Para quem vai viajar e deixar a casa fechada, a orientação do ministério é não deixar oportunidade para o vetor se proliferar. Por isso, o alerta para que os moradores verifiquem espaços dentro e fora da residência para eliminar a água parada de qualquer recipiente ou objeto que possa se transformar em criadouros do mosquito.

Alguns cuidados podem ser feitos: trocar água dos pratos dos vasos de planta por areia; tampar a caixa d´água; cobrir reservatórios de água, como piscinas; e remover do ambiente todo material que possa acumular água, como garrafas pet, latas e pneus.

Como o Aedes aegypti pode chegar à fase adulta em 10 dias, quem ficar fora de casa por um período semelhante, o ideal, é que o dono da casa tenha alguém para verificar possíveis focos que possam ter aparecido na casa, como explica médico da Fiocruz Claudio Maierovitch.

“O tempo razoável para manter uma casa sem cuidado é uma semana. Caso a casa vá ficar vazia por mais tempo, seria bom orientar que alguém fizesse isso. Um vizinho, um parente, alguém que pudesse entrar na casa para verificar novamente.”

É importante que o viajante adote medidas para reforçar a proteção contra o mosquito Aedes aegypti também no destino das viagens. O Ministério da Saúde recomenda a utilização de repelentes, manter portas e janelas fechadas ou teladas, usar calça e camisa de manga comprida.

Vale também verificar se há algum criadouro do mosquito em hotéis, pousadas, albergues e outros locais de estadia.

Resumindo, a mudança começa dentro de casa. Proteja a sua família.