Bolsonaro e Trump encontram-se dia 19 de março, diz Casa Branca

 

Agência Brasil – Brasília * – Os presidentes do Brasil e dos Estados Unidos, Jair Bolsonaro e Donald Trump, vão se encontrar no próximo dia 19, segundo comunicado da Casa Branca. Entre os temas que poderão ser discutidos no encontro, destacam-se a cooperação na área da defesa, políticas comerciais, combate ao crime transnacional e a crise na Venezuela.

 

De acordo com a Casa Branca, Bolsonaro e Trump vão conversar sobre os esforços para fornecer ajuda humanitária à Venezuela. Brasil, Estados Unidos e Colômbia lideraram o movimento de doações para os venezuelanos a partir da cidade colombiana de Cúcuta e da brasileira Boa Vista, capital de Roraima.

 

Os Estados Unidos e o Brasil, mais de 50 nações no total, reconheceram Juan Guaidó, autodeclarado presidente da Venezuela, como legítimo. Guaidó é presidente da Assembleia Nacional da Venezuela. O impasse no país vizinho permanece, pois o presidente Nicolás Maduro diz que vai se manter no poder com apoio da China, Rússia e Turquia, do México e Uruguai.

 

A viagem de Bolsonaro deve ocorrer entre os dias 18 e 22 deste mês. O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) fizeram viagens aos Estados Unidos para preparar a visita do presidente da República.

 

*Com informações da Xinhua, agência oficial de notícias da China

 

Casa Branca emite nota oficial sobre visita de Jair Bolsonaro

DO CORREIO INDEPENDENTE – O governo dos Estados Unidos publicou uma nota oficial sobre o encontro dos presidentes Jair Bolsonaro e Donald Trump, no dia 19 de março. Segundo a Casa Branca, os líderes discutirão neste primeiro encontro sobre segurança, economia e também a situação da Venezuela.

 

Leia a nota, traduzida:

 

O presidente Donald Trump receberá o presidente Jair Bolsonaro, do Brasil, na Casa Branca, na terça-feira, dia 19 de março de 2019. O presidente Trump e o presidente Bolsonaro irão de discutir sobre como construir um Ocidente mais próspero, seguro e democrático. Os líderes das duas maiores economias do Ocidente também conversarão sobre oportunidades de cooperação para a defesa, comércio bilateral, combate ao crime transnacional, e a restauração da democracia na Venezuela. Por fim, eles falarão do importante papel que os Estados Unidos e o Brasil têm no esforço para promover assistência humanitária para a Venezuela.

Reprodução da nota oficial da Casa Branca sobre visita de Jair Bolsonaro 

Encontro com Trump é oportunidade para reforçar laços, diz Bolsonaro

 

Kelly Oliveira – Agência Brasil*  Brasília – O presidente Jair Bolsonaro disse que o encontro com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, neste mês, “será uma grande oportunidade de retomar os fortes laços” entre os dois países.

 

Em sua conta pessoal no Twitter, confirmou que, no próximo dia 19, embarca para os Estados Unidos, onde terá entre outros compromissos o encontro com Trump. “[Será] Uma grande oportunidade de retomar os fortes laços entre nossas nações na busca de um ocidente com liberdade e prosperidade. Temos muito a somar!”.

 

Segundo a Casa Branca, entre os temas que poderão ser discutidos no encontro destacam-se a cooperação na área da defesa, políticas comerciais, combate ao crime transnacional e a crise na Venezuela.

 

Bolsonaro e Trump vão conversar sobre os esforços para fornecer ajuda humanitária à Venezuela. Brasil, Estados Unidos e Colômbia lideraram o movimento de doações para os venezuelanos a partir da cidade colombiana de Cúcuta e da brasileira Boa Vista, capital de Roraima.

 

Os Estados Unidos, o Brasil e mais de 50 nações reconheceram Juan Guaidó, autodeclarado presidente da Venezuela, como legítimo. Guaidó é presidente da Assembleia Nacional da Venezuela. O impasse no país vizinho permanece, pois o presidente Nicolás Maduro diz que vai se manter no poder com apoio da China, Rússia e Turquia, do México e Uruguai.

 

O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) fizeram viagens aos Estados Unidos para preparar a visita do presidente da República.

 

* Com informações da Xinhua, agência oficial de notícias da China