Até junho, Museu Catavento expõe cultura de um povo e desenvolvimento

 

DE SÃO PAULO – Começou nesta terça-feira (14/05), e prossegue até 9 de junho, a mostra INTEGRA: a cultura de um povo, o desenvolvimento de um país” no Museu Catavento – museu de ciências da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo. A exposição exibe a trajetória de cinco indústrias ligadas ao desenvolvimento, assim como a forma que as novas tecnologias as impactam. Os marcos e as tendências dos setores de construção, mobilidade, agricultura, energia e mineração são apresentados por meio de painéis e totens interativos, em cinco ambientes expositivos distribuídos em uma área de, aproximadamente, 250 metros quadrados.

Logo na entrada, um totem com a projeção em vídeo de uma pessoa em tamanho real apresenta as temáticas da exposição. “As seções mostram como o capital humano atua nos diferentes setores, inovando e empreendendo com base em seus valores, em seu modo de fazer, pensar, se expressar e viver, ou seja, com base em sua cultura e identidade”, conta o curador Mário Donizeti que selecionou temas estratégicos para o desenvolvimento do país, capazes de ajudar na construção de um mundo melhor.

A jornada pela mostra se inicia em Fluxos, um núcleo expositivo que analisa o setor de transportes, apresenta os modais existentes no Brasil e os compara com os de outros países. A partir de um painel interativo, projetado no chão, com toda a malha viária brasileira, é mostrada a evolução e a previsão para futuro de diversas vias de transporte (rodovia, ferrovia, transporte aéreo ou hidrovia). Fluxos conta ainda com uma maquete que exibe novas tecnologias aplicadas em estradas inteligentes.

Adiante, Campo contempla a produção agrícola brasileira e observa aspectos que levaram o Brasil a ocupar a posição de terceiro maior exportador de alimentos do mundo (Organização Mundial do Comércio, 2014). Essa seção mostra a importância econômica e ecológica das florestas plantadas, das quais o Brasil também é um importante produtor. Além disso, apresenta um aplicativo para demonstrar a agricultura de precisão, que utiliza novas tecnologias a fim de aumentar a produtividades e sustentabilidade dos cultivos agrícolas. Em outro painel interativo, o público poderá escolher um produto (tomate, batata, café) e saber o que mudou no seu cultivo ao longo dos anos.

O próximo espaço é iluminado por energia gerada a partir de painéis fotovoltaicos aparentes. Energia traz dados sobre consumo, eficiência energética, fontes renováveis e redes elétricas inteligentes. O Brasil tem uma das melhores matrizes energéticas do planeta e, comparado com o resto do mundo, conseguiu atingir maior participação das fontes renováveis, graças à hidroeletricidade, ao etanol, à biomassa e à energia eólica. No entanto, o País ainda possui potencial para explorar mais alternativas como a energia eólica, por ondas, de fluxo ou fotovoltaica. “Integra” ilustra cada uma dessas fontes de energia em uma maquete interativa, que demonstra o funcionamento dessas matrizes.

O núcleo seguinte, Habitat, além de apresentar a engenharia de grandes obras brasileiras, como a Usina de Itaipu, a Ponte Rio Niterói e a Rodovia Imigrantes, traz soluções viáveis e novas tecnologias para tornar as cidades mais seguras, amigáveis e sustentáveis. Nesse espaço, o público é desafiado a participar de um jogo multiplayer sobre as relações entre infraestrutura, construção e consolidação das cidades. O objetivo é criar uma cidade, optando por tecnologias e processos inerentes às cidades inteligentes, e descobrir, em uma avaliação, quão boa ela seria.

Na sequência, por meio de painéis, mapas, vídeo mapping e realidade virtual, o núcleo Mineração mostra os fluxos de minério no Brasil e no mundo (o que produzimos e o que compramos), além da evolução da produção logística do minério e o funcionamento de uma mina autônoma, que necessita de pouca interferência humana. Uma projeção mapeada apresenta o processo desde a lavra até o processamento e o transporte do minério. O espaço exibe ainda um celular explodido, ao lado de uma tabela periódica, identificando cada peça do aparelho.

Ao final da jornada, os visitantes receberão óculos simuladores de realidade virtual para experimentar a sensação de estar no cockpit de máquinas utilizadas na construção e produção dos diversos setores do desenvolvimento abordados na mostra.

Integra é um projeto patrocinado pela Caterpillar através da Lei de Incentivo à Cultura do Governo Federal. “O projeto visa apresentar as tendências futuras nas principais áreas de desenvolvimento do país e logo nos veio em mente a Caterpillar, por sua liderança mundial e vasta atuação nos diversos setores da infraestrutura. Estamos muito felizes com esta parceria”, conta Daniel Casadó, Diretor de Projetos da P4, agência idealizadora da exposição.

“Estamos honrados por ajudar a tornar a exposição uma realidade. Nossa missão é ajudar a construir um mundo melhor. E isso só é possível se tivermos conscientes do atual estágio de desenvolvimento do Brasil e quais os caminhos para o país continuar construindo sua infraestrutura”, comenta Odair Renosto, presidente da Caterpillar Brasil.

Serviço

Integra: a cultura de um povo, o desenvolvimento de um país

De terça a domingo, das 09h às 17h. (bilheteria até às 16h)
Avenida Mercúrio, s/n – Parque Dom Pedro II, Centro, São Paulo – SP
(11) 3315-0051
www.cataventocultural.org.br