Após ser comprada pelo Grupo Boticário, Vult encerra operações em Mogi

A Vult, agora, é somente passado em Mogi das Cruzes

 

DE MOGI DAS CRUZES – A Vult está fechando seu centro operacional e fabril em Mogi das Cruzes, principal cidade do Alto Tietê – região que ocupa a porção leste da Grande São Paulo. A informação é do Panorama Farmacêutico. O Ministério da Saúde e a Receita Federal já deram baixa na situação cadastral da empresa de cosméticos.

A mogiana Vult foi criada em 2004 pelos sócios Murilo Reggiani e Daniela Cruz. Está em 35 mil pontos de venda no Brasil e tem forte presença em lojas multimarcas e farmácias. Entre os produtos do seu portfólio estão sombras, pincéis, bases faciais e esmaltes.

O fechamento da sede e fábrica em Mogi – local onde foi fundada, cresceu e atraiu os olhos dos investidores – é mais um desdobramento da compra da companhia pelo Grupo Boticário, que aconteceu em março de 2018. Quando a negociação ocorreu, o CORREIO INDEPENDENTE noticiou o fato (leia mais abaixo).

Os setores de logística e distribuição da Vult na cidade do Alto Tietê já tinha sido desativados no ano passado.

A reportagem do CORREIO levanta qual será a perda, para o município, em termos de arrecadação de tributos com a saída definitiva da Vult da cidade.

Fundada em 2004, a empresa foi incorporada à unidade de negócios MultiB, canal varejista do Grupo Boticário. A Vult mantinha 35 mil PDVS (pontos de venda) e era líder em vendas de maquiagem no varejo farmacêutico. Com a compra, o Boticário se tornou o segundo maior grupo no mercado de maquiagem do Brasil.

 

RELEMBRE REPORTAGEM DE 2018 DA VENDA DA VULT PARA O GRUPO BOTICÁRIO